Niterói por niterói

Publicado

Comprovante de vacinação passa a ser exigido em escolas de Niterói no ato da matrícula

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Decreto foi publicado no Diário Oficial, na última quarta-feira (11), e vale tanto para escolas da rede pública quanto privada
Maioria das escolas municipais já voltou às aulas. Foto- Prefeitura de Niterói
A medida é válida para alunos até 18 anos. Foto: Divulgação/Prefeitura

Estudantes da rede pública e particular devem apresentar a carteira de vacinação no ato da matrícula escolar ou de sua renovação. A informação consta na edição do Diário Oficial da última quarta-feira, 11 de maio. De acordo com o decreto, passa a ser obrigatória a apresentação do documento para a validação da matrícula escolar para alunos até 18 anos.

Leia mais: Mapa da Covid no Estado do Rio sai da bandeira verde para alerta de risco baixo

A falta de apresentação do documento ou a constatação da falta de alguma das vacinas consideradas obrigatórias não impossibilitará a matrícula ou sua renovação, porém a situação deverá ser regularizada em um prazo máximo de 60 dias, pelo responsável, sob a pena de comunicação imediata, pela escola, ao Conselho Tutelar para providências.

Casos de Covid aumentam 65% em Niterói em uma semana

A exigência acontece na mesma época em que Niterói registra aumento de casos de Covid. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde e revelam que na Semana Epidemiológica 19, Niterói teve 450 novos casos da doença, contra 272 na semana anterior – um aumento de 65%. Esta alta levou a Prefeitura a ampliar o atendimento nos postos de vacinação na última quarta-feira. Recentemente, escolas suspenderam aulas por conta de casos de alunos que testaram positivo para Covid-19. Foi o caso do GayLussac e, antes, o Colégio pH.

Na última semana, a cidade também registrou o aumento nas filas nos postos de testagem. O A Seguir mostrou este aumento na reportagem publicada na semana passada. A alta procura ficou nítida em postos como o do Vital Brazil. Na quinta-feira (12), a preocupação dos funcionários do posto era saber se teriam testes suficientes para atender a todos que estavam na fila. Por volta das 14h30, senhas começaram a ser distribuídas para evitar que pessoas entrassem na fila sem a garantia de que seriam atendidas. O mesmo cenário se repete em outros postos da cidade. Também cresceu a venda de testes nas farmácias.

COMPARTILHE