Niterói por niterói

Publicado

Aumento de casos de Covid leva à redução de quadro de funcionários em diversos setores de Niterói

Por Livia Figueiredo
| aseguirniteroi@gmail.com
CCR barcas tem 70 funcionários afastados em uma semana; o setor de bares e restaurantes observa queda de até 30% no movimento
testagem covid
Niterói teve, em um único dia, 2 mil casos de Covid confirmados. Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói

A alta de casos de Covid-19 tem gerado um esvaziamento do quadro de funcionários de diversos setores de Niterói e do Estado do Rio de Janeiro. O impacto pode ser observado em lojas que costumavam ficar abarrotadas de clientes, em restaurantes com fila de espera ou até mesmo numa simples ida ao supermercado. O cenário de alto contágio é impulsionado pela maior flexibilização das medidas de enfrentamento à Covid e pela circulação expressiva da variante Ômicron, altamente transmissível. Os casos se traduzem em números.

Leia mais: Pesquisadores da UFF afirmam que pessoas não vacinadas ou com vacinação incompleta serão as mais afetadas pela Ômicron

A Prefeitura de Niterói informou que a cidade teve mais de 2 mil casos de Covid confirmados em um único dia, nos postos de atendimento público, sem contar os casos computados em hospitais, laboratórios e em farmácias. O registro recorde em toda a pandemia aconteceu na última quarta-feira (12). O resultado, na prática, revela a escassez de testes em farmácias e laboratórios da cidade. A alta incidência de pessoas contaminadas pela Covid tem levado alguns lugares a dar um passo atrás e abolir o sistema presencial até que a situação esteja mais controlada.

É o que fez a Associação do Comércio Farmacêutico do Estado do Rio de Janeiro (Ascoferj). A alta dos casos levou a associação a adotar o trabalho remoto para 100% dos seus funcionários. O aviso aparece em um comunicado no site: “Devido à contaminação de parte de nossa equipe de colaboradores com Covid-19, voltaremos temporariamente ao trabalho home office. Caso necessite de algum atendimento, entre em contato com os departamentos pelos números e e-mails abaixo, sempre entre 8h e 17h.”

Bares e restaurantes 

Outro setor afetado foi o de bares e restaurantes. No município do Rio de Janeiro, de acordo com uma pesquisa feita pelo SindRio, o sindicato patronal do segmento, na semana passada, 85% dos estabelecimentos afirmaram que tiveram algum funcionário afastado por confirmação ou suspeita de Covid. Desse grupo, a média de funcionários afastados é de 20%. O Sindicato não apresentou um número de estabelecimentos fechados. Porém, teve conhecimento de que alguns precisaram fechar completamente por falta de funcionários para atender a demanda. Todas as regiões do Rio de Janeiro foram impactadas.

O presidente do SindLeste RJ (Sindicato dos hotéis, restaurantes, bares e similares do Leste Fluminense), Alexis Japiassu, informou que, em pesquisa informal entre os associados, o quadro de Niterói é de 10% dos funcionários afastados por suspeita de Covid, neste momento. Entre novembro e dezembro do ano passado, porém, a Influenza já havia provocado um afastamento de 15% a 20% de funcionários dos estabelecimentos.

Sobre a queda de movimento, a média, no momento é em torno de 30%, mas com aumento de cerca de 10% do delivery.

Presidente do Polo Gastronômico do Jardim Icaraí, Beto Caveari confirmou a tese de que, sim, o momento é de cautela devido à explosão de casos de Covid nas últimas semanas:

– Percebemos uma queda no movimento, que foi ainda maior do que o da semana passada – entre 20% a 30% – por conta de muitas pessoas positivadas para Covid. Ao mesmo tempo, tivemos um ligeiro aumento no delivery justamente porque as pessoas estão sem poder sair de casa. Pelo mesmo motivo, em todos os estabelecimentos, as equipes estão reduzidas – afirmou.

Guilherme Alfradique, beer sommelier do bar especializado em cerveja artesanal, Dona Cevada, também observou queda no movimento:

– Aqui no bar e na Rua Nóbrega, em geral, o movimento caiu entre 30% e 50% porque tem muita gente positivada para Covid. Entre os nossos clientes, a todo momento, mais um informa que testou positivo. Está geral – ressaltou.

Por conta do aumento de casos de Covid na cidade, a cervejaria Matisse cancelou a inauguração do seu bar e a Vila Cervejeira, que reúne taprooms de sete marcas de Niterói, cancelou o evento que faria no próximo dia 22.

No setor comercial, a situação também mostra que, se medidas não forem adotadas, os números podem ser piores nas próximas semanas. Um balanço feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói revela que a nova onda da Covid-19 afetou cerca de 1.300 lojas da cidade. É que 20% das 6.550 existentes tiveram funcionários que testaram positivo.

Na Neltur (Niterói Empresa de Lazer e Turismo), cinco funcionários testaram positivo só na última semana. Todos que contraíram a doença foram devidamente afastados e seguem trabalhando em home office. No ciclo da pandemia, dos 150 funcionários, incluindo estagiários, 20 se contaminaram.

Leia também: Filas de testagem de Covid e da vacina se confundem na Policlínica Sérgio Arouca

CCR Barcas tem 70 funcionários afastados

No setor de transportes, a situação não é muito diferente. A disparada dos casos tem afastado funcionários que foram contaminados pelo SARS-COV-2. A CCR Barcas informou que teve 70 colaboradores afastados (60 da área operacional e 10 do estaleiro), na última semana, por conta de casos suspeitos de coronavírus. O número corresponde a cerca de 10% do quadro funcional da empresa que, atualmente,  conta com 768 funcionários. Até o momento, 26 casos de Covid foram confirmados. Porém, vale ressaltar que nem todos os afastados tiveram acesso aos resultados das testagens até então. De acordo com a empresa, a diminuição do número de funcionários não vai afetar o funcionamento das barcas.

A Concessionária afirma que instalou dispensers e totens com álcool em gel 70% nas estações e informa em seus vários canais de mídia sobre ações contra a propagação do vírus. Além disso, os médicos da Concessionária promovem diálogos diários de segurança com os colaboradores, a fim de que esses profissionais estejam preparados para se proteger e para orientar os passageiros sobre as medidas de prevenção no atual cenário de pandemia.

O Sindicato dos Taxistas também teve seu quadro de funcionários reduzido nas últimas duas semanas. De acordo com o presidente da entidade, Rodrigo Lopes,  cerca de 20% dos funcionários foram afastados após testarem positivo. A medida, segundo ele, é uma prevenção para os demais funcionários e passageiros que poderiam se contaminar após o contato com pessoas infectadas.

O Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) testou todos os seus funcionários e diretores devido ao crescimento exponencial de casos em Niterói, nas últimas semanas. O resultado ainda será divulgado nos próximos dias, mas a medida já indica uma preocupação com a nova onda de contágio. Para orientar os funcionários com diretrizes mais fundamentadas sobre as medidas de prevenção contra a Covid-19, o sindicato distribuiu uma cartilha  internamente para seus funcionários, nesta segunda-feira (17), no terminal João Goulart.

O Detran também teve seu quadro de funcionários reduzido e, por conta disso, fechou quatro postos na semana passada. Nesta segunda-feira, porém, todos foram reabertos: o Centro Integrado em Educação no Trânsito (Cietran) e os postos de Identificação Civil de Niterói, vistoria e de habilitação (Fonseca).

A Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) emitiu recentemente uma nota de esclarecimento sobre possíveis impactos da Ômicron na economia. No comunicado, a ASSERJ informa que o setor supermercadista está preparado para trabalhar com um número reduzido de colaboradores, como aconteceu no início da pandemia, e que a entidade não tem registro de fechamento de nenhuma loja devido ao afastamento de funcionários.

“Também não existe necessidade de redução do horário de funcionamento. Os supermercados, inclusive, reforçaram os estoques, para que não haja qualquer tipo de desabastecimento, o que não aconteceu em nenhum momento da pandemia.  A ASSERJ está acompanhando de perto o trabalho do setor e assegura que a população fluminense pode ficar tranquila quanto ao funcionamento dos supermercados”, completaram.

No complexo Reserva Cultural, localizado em São Domingos, foram distribuídas máscaras de maior proteção para os funcionários (PFF2) e os cuidados com a higiene do local foram reforçados.

– Por ser um ambiente aberto e os funcionários estarem bem orientados, ainda não fomos impactados por essa onda. Compramos máscaras que conferem maior proteção e na equipe do cinema não tivemos nenhum caso até hoje, durante todo o período da pandemia. Nas outras operações, tivemos casos pontuais no decorrer da pandemia e seguimos o procedimento de afastamento e testagem. Estamos muito atentos a todos os protocolos. E vamos seguir assim, em alerta e com todos os cuidados – afirmou a gerente de marketing do Reserva, Suzy Silva.

COMPARTILHE