Niterói por niterói

Publicado

Sala de Cultura Leila Diniz exibe duas exposições simultâneas gratuitas na próxima quinta-feira, em Niterói

Por Livia Figueiredo
| aseguirniteroi@gmail.com
Espaço, localizado no Centro de Niterói, terá em cartaz uma produção em série inédita, da artista Ana Morche, e “Cultive as flores da sua dor”, de Veruska Bahiense, que tem como técnica pintura em aquarela com café
Ana Morche
Produção em série inédita da artista Ana Morche entra em cartaz na próxima quinta-feira (10), na Sala Cultura Leila Diniz

A Sala de Cultura Leila Diniz vai exibir duas exposições simultâneas na próxima quinta-feira, 10 de fevereiro, às 17h30. O espaço fica localizado no Centro de Niterói e terá em cartaz  a mostra “Naturalis”, uma produção em série inédita da artista Ana Morche, e “Cultive as flores da sua dor”, de Veruska Bahiense. A entrada é gratuita. A Sala de Cultura Leila Diniz funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Leia mais: ‘Ensino de música na escola é algo que ocupa a criança de comunidade’

Pinturas em aquarela com café, aplicações de materiais, fotografias, costuras e outras técnicas são elementos da mostra. Enquanto uma exposição revela a natureza em cores e elementos étnicos, a outra apresenta uma mensagem de superação em forma de arte.

Exposição Naturalis, de Ana Morche. Foto: Divulgação

Com pinceladas suaves a partir de cores primárias a inspiração surge, na exposição “Naturalis”, como parte do processo criativo. Com técnica, pesquisa e método, o papel branco se transforma em obra de arte. A natureza se impõe em uma linguagem expressiva com elementos étnicos, efeitos em texturas, transparências e sobreposições. A arte é finalizada com desenhos em giz, bico de pena, entre outras interferências.

– A natureza está presente na minha vida desde a infância. Sempre gostei de coletar pequenos tesouros, como sementes e flores – ressalta Ana Morche.

Já a exposição “Dor crônica” é dividida em duas séries: “Sombras da Dor” e “Desert Bloom”. O processo criativo que conduziu o trabalho de Veruska Bahiense foi o registro fotográfico de pacientes colaboradores e aplicação de técnicas de pintura e costura no próprio papel, mapeando assim, os pontos de dor e florescimento. A proposta da mostra foi de capturar o olhar da artista para a beleza diante da dor. Isso a levou a buscar imagens que pudessem representar tal resiliência.

Leia também: Fique de olho no céu: fim de semana terá calor, mormaço, chuva e até arco-íris

Veruska Bahiense também é paciente de dor crônica, portanto suas impressões pessoais estão, de certa forma, representadas nesse projeto.

– O objetivo não foi debruçar nas tragédias e limitações das patologias, mas destacar a beleza e como esses pacientes florescem, apesar da dor –  destaca a artista.

Cultive as Flores da Sua Dor, de Veruska Bahiense. Foto: Divulgação

O conto hindu “O Vaso Rachado” foi o preceito textual escolhido para embasar a proposta de uma nova forma de olhar sobre o outro e sobre si mesmo. Nessa narrativa, as cores são aplicadas cuidadosamente sobre a base fotográfica em preto e branco e o amarelo alaranjado remete à oxidação. Um elemento inusitado dá o tom especial ao conjunto da obra: o café. É que além do sabor e aroma, o café tem uma tonalidade peculiar, que rascunhou o cultivar e o florescer nas demais obras.

“Aquarela com Café” é, inclusive, o tema da oficina que será ministrada pela artista Veruska Bahiense no dia 11/03, a partir das 14h30, na Sala de Cultura Leila Diniz. O espaço também é palco de outra oficina, esta ministrada pela Ana Morche, a “Aquarela – cor e texto”, no dia 9/3, também a partir das 14h30.

Serviço

Local: Sala de Cultura Leila Diniz – Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro
Endereço: R. Prof. Heitor Carrilho, 81 – Centro, Niterói
Abertura oficial: 10/02/2022 (quinta-feira) às 17h30
Funcionamento da Sala de Cultura: de segunda a sexta, das 8h às 17h
Entrada franca
Classificação: Livre

COMPARTILHE