Niterói por niterói

Publicado

Motoristas se queixam de multas indevidas aplicadas pelo radares da Ponte Rio-Niterói

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Mesmo passando na velocidade inferior à permitida, motoristas são autuados; Ecoponte e PRF ainda não se manifestaram
ponte
Festival de multas atropela motoristas na ponte Rio-Niterói. Foto: Reprodução/Redes Sociais

A revolta com multas alegadamente indevidas virou rotina para  motoristas que transitam pela Ponte Rio-Niterói. Uma rápida pesquisa no site “Reclame Aqui”, que faz o intercâmbio de informações entre consumidores e empresas, revela que têm sido cada vez mais recorrentes as queixas de autuações de motoristas que dizem ter sido multados injustamente, sem cometer qualquer irregularidade.

Esta semana o A Seguir: Niterói teve acesso a documentos de um motorista que recebeu mais de uma dúzia de multas na ponte. Ele diz que usa o controle de velocidade do carro na travessia da ponte e que, mesmo assim, continua sendo multado. Alguns motoristas reclamam de radares específicos, como os dos km 327 e 329.

Leia mais: ‘Barca é transporte de massa e deve ter preço mais acessível para população pobre de Niterói’

– Nunca passei de 80km/h na ponte Rio Niterói, e sei até onde tem os radares e passo pelo os mesmos na velocidade média de 75km/h para não ter erros. Chegou uma notificação em minha residência e fui atuado por velocidade superior a 80km/h. Não irei pagar pelos erros e falta de manutenção de uma via que é pedagiada – afirmou um usuário, que preferiu não se identificar.

Outra usuária, ainda mais assertiva, pede o acesso à imagem do seu carro e a velocidade real no instante em que passou pelo radar. O registro da queixa no site “Reclame Aqui” foi no dia 27 de janeiro. No comentário, a motorista fez inúmeras críticas sobre a aplicação de multas sem fundamento e pede as medidas cabíveis:

– Hoje, ao puxar as infrações do meu veículo, vi que consta uma multa na BR 101 – KM 325 que fica na ponte Rio-Niterói e tem a Ecoponte como concessionária da via. Sempre transito na ponte conforme a velocidade estabelecida, que é de 80km/h, e assim entendo que essa multa é irregular.

Ela ainda faz um adendo sobre a posição do radar ser diferente da que consta em sua autuação: “O radar não fica no KM 325, como consta da notificação”, complementa.

Por meio do canal de resposta da plataforma, a Ouvidora da Ponte se manifestou, com uma resposta protocolar:
“A manifestação foi registrada em nossa ouvidoria sob o protocolo 20895-04 e foi devidamente respondido via e-mail cadastrado neste site. Dúvidas adicionais poderão ser encaminhadas para a Ouvidoria da Ecoponte pelos canais oficiais de atendimento, pelo website www.ecoponte.com.br ou pelo e-mail ouvidoria@ecoponte.com.br.
Filipe, morador de São Gonçalo, é outro motorista que foi afetado recentemente. Ele afirma que o radar pode estar apresentando instabilidade. A queixa também foi registrada no fim de janeiro:
“Recebi uma multa no km 327 mas tenho certeza que não ultrapassei os limites na ponte, acredito que este radar esteja com problemas.”
Outro usuário afirma que o radar KM 329 está multando, mesmo passando em velocidade inferior a 80km/h. Ele assegura que não passou de 75km/h.
– Venho aqui fazer uma reclamação do Radar KM 329, que está multando, mesmo passando em velocidade inferior a 80km/h, isso é inaceitável! Nesse dia estava indo com minha esposa ao aeroporto buscar um familiar, e estávamos com bastante tempo de folga, portanto, fomos em velocidade reduzida e sempre usando a faixa da direita para não atrapalhar a fluidez do trânsito. Se quer eu passei de 75km/h.
Para minha surpresa, chegou essa multa: “Transitar Em Velocidade Superior a Máxima Permitida em Até 20%. Inaceitável uma situação dessa!!! A EcoPonte junto a PRF tem que se responsabilizar por esse erro grotesco! – questionou.

O A Seguir: Niterói entrou em contato com a Ecoponte e com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre o aumento de queixas quanto à aplicação de multas na ponte Rio-Niterói na segunda-feira (7). Até o fim da tarde desta quarta-feira (9), tanto a concessionária quanto a PRF não responderam sobre o número de queixas recebidas em 2021 e neste ano, assim como as providências tomadas.

COMPARTILHE