Niterói por niterói

Publicado

MAC recebe instalação imersiva que desafia o visitante a se desconectar dos celulares

Por Livia Figueiredo
| aseguirniteroi@gmail.com
Mostra abre ao público, na sexta-feira (10), a partir das 10h, no Salão Principal; Mostra tem como intuito promover um exercício de introspecção por meio da desconexão da internet e de dispositivos
deep_lab_2021-1 (1)
Foto: Divulgação/MAC

Uma experiência audiovisual imersiva que vai na contramão dos tempos atuais de hiperconexão é o que propõe a mais recente instalação de arte e tecnologia Quiet Room, no Museu de Arte Contemporânea (MAC), que abre ao público, na sexta-feira (10), a partir das 10h, no Salão Principal. A mostra tem como intuito promover um exercício de introspecção por meio da desconexão da internet e dos dispositivos “smart”.  Isso porque o espectador fica impossibilitado de fazer qualquer registro e postar nas redes sociais. O objetivo é que, ao menos por alguns minutos, os visitantes desliguem-se das redes, para momentos de completa entrega e absorção.

Leia mais: “Fim de Tarde no Campo”; conheça a programação

Para participar da experiência, é necessário colocar o telefone celular no bolso. Depois, o visitante é convidado a entrar em uma sala escura, na qual, ao longo de 8 minutos, se conectará com sons e projeções interativas de paisagens, que proporcionam uma experiência de mindfulness (estar totalmente presente no momento).

Foto: Divulgação MAC

A instalação é cercada de recursos tecnológicos, como sensores que captam a movimentação dos participantes à distância. Desde a sua concepção, Quiet Room previa a interação sem necessidade de contato físico e, com a pandemia, novas medidas foram adotadas, como a implantação de uma cortina de tecido, tratamento antibacteriano e equipamentos de filtragem do ar. Há também limitação de 8 pessoas por sessão, respeitando o distanciamento social. A instalação possui 5 metros de largura, 4 de altura, e 10 de profundidade.

Conexão constante pode ter relação com níveis de ansiedade

A hiperconexão é um termo que, apesar de não oficial, remete à necessidade constante de acesso à internet. Cada vez mais a população passa o dia todo conectada a sites, aplicativos de mensagem e redes sociais. Segundo profissionais de saúde mental, este comportamento tem ajudado a aumentar os níveis de ansiedade da população, uma vez que o tempo parece ganhar outra velocidade em ambiente virtual. Nesse sentido, ‘dar um tempo’ pode ser um passo importante para evitar ou diminuir os sintomas do transtorno.

Sensações

Fundador da Deeplab Project e responsável pela concepção da instalação em colaboração com o artista francês Parse/Error e a especialista em mindfulness Regina Giannetti, Felipe Reif conta que o trabalho envolveu diversos testes e neles foi possível observar como ‘se desligar do mundo’ pode ser mais difícil do que parece.

– No início da experiência, que é menos visual, os visitantes sentiam falta da recompensa que o cérebro fornece quando acessamos nossos celulares. Porém, na medida em que a experiência evolui a sensação de ansiedade diminui e percebemos uma quietude absoluta na sala – revela.

A instrutora de mindfulness e podcaster do Autoconsciente, Regina Giannetti, diz que a instalação convida a experiência desse estado por meio da respiração, de movimentos e da interação com o ambiente.

– Convida também à reflexão do quanto estamos alheios ao que nos cerca enquanto a mente viaja para o futuro, passado ou outro lugar. E é no presente que a vida realmente acontece. Mindfulness é o estado de consciência que surge quando focalizamos a atenção no aqui, no agora – avalia.

Foto: Divulgação MAC

Leia também: Síndrome Pós-Covid levam pacientes a segundo tratamento depois de curados

Quiet Room faz parte de uma série de quatro experiências autorais propostas pela Deeplab Project, sobre temas relevantes da sociedade por meio de instalações que misturam arquitetura, design e tecnologia. Redes sociais, interação do homem com o ambiente e conexões humanas são interpretados pelo estúdio em exposições itinerantes que percorrem o país nos mais diversos espaços culturais.

Protocolos sanitários:

Todos os protocolos sanitários serão seguidos, como a obrigatoriedade do uso de máscaras. Com base no decreto municipal nº 14.141/2021 e no plano Novo Normal da Prefeitura de Niterói, a Secretaria das Culturas e a Fundação de Arte de Niterói estabeleceram novas normas para o funcionamento dos equipamentos culturais da cidade.

Desde de 1º/10/2021 é necessário apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 para entrar nos equipamentos culturais de Niterói. O comprovante de vacinação pode ser apresentado no formato impresso ou digital e deve ser acompanhado de um documento com foto.

SERVIÇO:

Exposição: Quiet Room

Abertura: 10 de dezembro, sexta-feira

Horário: a partir das 10h

Período: de 10 a 30 de dezembro de 2021

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h

Local: MAC Niterói

Endereço: Mirante da Boa Viagem, sem número

Ingresso: R$ 12 (inteira). R$ 6 (meia-entrada) – Têm direito à meia-entrada idosos a partir de 60 anos, jovens de baixa renda com idade entre 15 e 29 anos inscritos no CadÚnico, estudantes de escolas particulares, universitários e professores. É exigida a comprovação do direito ao benefício na bilheteria do museu.

Entrada gratuita para estudantes da rede pública (ensino médio), crianças de até 7 anos, portadores de necessidades especiais, moradores ou nascidos em Niterói (com apresentação do comprovante de residência) e visitantes de bicicleta. Na quarta-feira, a entrada é gratuita para todos.

Venda: pelo site da sympla ou na bilheteria do Museu

A entrada ao Museu deve ser feita até as 17h30.

COMPARTILHE