Niterói por niterói

Publicado

Icaraí continua sendo o bairro mais desejado de Niterói para se viver e investir em imóveis

Por Livia Figueiredo
| aseguirniteroi@gmail.com
Um dos maiores e mais luxuosos empreendimentos do bairro vendeu 85% dos apartamentos em dois meses
venda
Apartamento à venda na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí: disputa entre imobiliárias. Foto de Giovanni Faria
Grande oferta de escolas, hospitais, restaurantes, as principais ruas de comércio da cidade, a praia e… a vista do Rio. Mais conhecido, mais populoso e com mais alto poder aquisitivo de Niterói, Icaraí continua sendo o bairro mais desejado por quem quer alugar ou comprar um imóvel na cidade. Um exemplo é o prédio em construção na Praia de Icaraí onde ficava o Regatas: um dos mais caros empreendimentos e imóveis mais luxuosos lançados nos últimos anos, vendeu 85% das unidades em apenas dois meses com preço médio de R$ 4 milhões.
A procura maior por Icaraí é registrada em pesquisa do Termômetro DataZap + Radar Imobiliário. Pelo levantamento, os três bairros de Niterói mais requisitados tanto em 2020 quanto em 2021, em plena pandemia de Covid-19 – quando teria crescido a procura por casas  para locação-, permanecem sendo Icaraí (42,54%), Santa Rosa (13,47%) e Ingá (7,87%), todos na Zona Sul da cidade. Detalhe: o índice dos que preferem Icaraí chega a quase metade do total.
– Eu acho que, na compra de um imóvel, o que importa é localização em primeiro lugar, localização em segundo e localização em terceiro. Por isso estou procurando um apartamento para comprar e morar em Icaraí. Moro há anos na Tijuca e não há mais condições, a violência já me assusta muito. É claro que aqui em Niterói não é um paraíso, mas em Icaraí a gente ainda tem muito mais qualidade de vida, acredito. E os preços, embora altos, não são tão altos como os da Zona Sul do Rio – diz Isabele Mendonça, de 46 anos, que esta semana visitava imóveis em Icaraí, depois de pesquisar em sites de imobiliárias.
A advogada conta que a mãe dela já mora em Niterói há 20 anos e que, por isso, está sempre pela cidade. Então é com “conhecimento de causa”, brinca, que escolheu Icaraí para investir e morar.
Além da localização, também pesam o valor do imóvel e o quanto a pessoa pode desembolsar. Segundo o site Proprietário Direto, o preço do metro quadrado em Icaraí e Santa Rosa fica próximo do da Tijuca, no Rio, por exemplo, embora a qualidade de vida em Niterói seja maior.
O preço médio do metro quadrado estava em R$ 7.443 em Icaraí contra R$ 6.888 na Tijuca.
Mas já em relação a bairros da Zona Sul do Rio, na comparação, o preço médio do metro quadrado em Icaraí é mais baixo que o de Botafogo e Copacabana, podendo chegar à metade do de Ipanema e Leblon, por exemplo.
Alta procura também por aluguéis
Icaraí também está entre os mais procurados para aluguel, assim como o Ingá, por causa de estudantes que chegam do interior e até do Rio para estudar na UFF.
No caso da locação, na lista dos dez bairros mais cobiçados em 2020 e 2021, apenas quatro de Niterói ganharam participação no grupo, com destaque para Fátima, que fica próximo do Centro de Niterói.
No período, o bairro de Fátima subiu três posições entre os dez mais procurados para aluguel, saindo do último para o sétimo lugar.
Em entrevista ao A Seguir: Niterói, o vice-presidente da Soter, Julio Kezem, explica as possíveis motivações para  Icaraí e outros bairros que aparecem no ranking serem tão atrativos.
Ele afirma que, sem dúvidas, Icaraí é o bairro mais desejado pelo niteroiense e apresenta algumas razões: a vista deslumbrante para o Pão de Açúcar, o fato de ser o bairro mais conhecido por quem não vive na cidade, além de ser espaço nobre para a construção de um empreendimento de grande porte.
Vista da Praia de Icaraí, no fim de tarde. Foto: Livia Figueiredo

– O nosso último lançamento na Praia de Icaraí, o The Edge, é uma prova disso. Com unidades com preço de médio de R$ 4 milhões, o empreendimento já comercializou 85% em apenas 2 meses do lançamento. Como hoje temos 5 novos empreendimentos em andamento situados nas principais regiões da cidade, conseguimos ter um bom panorama de como está a demanda no geral e por localização – pontua.

 

Maior empreendimento da história de Niterói atinge 85% das unidades comercializadas. Foto: Divulgação
Também influencia diretamente na escolha por Icaraí, segundo um corretor, o fato de o bairro ter a população de mais alta renda per capita da cidade, o que acaba atraindo serviços de mais qualidade, que por sua vez viram atrativos para novos moradores e investidores.
Assim como a locação de imóveis, a mesma tendência é observada no mercado de compra: Icaraí (39,98%), mantendo a primeira posição para as duas transações, seguido por Santa Rosa (14,65%) e Ingá (7,17%).
Sobre o Ingá, Julio Kezem diz acreditar que o que atrai  é a comodidade de poder usufruir de um comércio variado em um só local, com tudo perto de casa:
O Museu de Arte Contemporânea. Foto: Divulgação

– O Ingá, assim como o Jardim Icaraí, oferece a facilidade de não ter que se deslocar para outras regiões da cidade. Só para citar um exemplo, no Ingá estão localizados alguns dos principais museus e atrações culturais da cidade, como o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC), o Museu do Ingá e a Reserva Cultural. Um bairro carregado de memórias e ainda com muita história para contar – completa.

O levantamento indica ainda que, após meses de desaceleração dos preços em 2021, o índice FipeZAP-Locação de Niterói terminou os dois últimos meses positivos, com variação acumulada de 2,61% entre dezembro de 2020 contra o mesmo período do ano passado.
Levando em consideração os índices atuais, a expectativa de Kezem em relação ao mercado imobiliário é de manter números positivos nos próximos meses. Ele diz que a procura por espaços mais amplos é uma tendência que veio para ficar, sobretudo em cidades médias e pequenas. E diz também que “os lançamentos tendem a manter um bom ritmo até 2022 por uma única razão: o estoque de imóveis prontos, que esteve muito alto, está acabando.” Passar a maior parte do tempo em casa fez com que novas prioridades fossem criadas.
– As tendências do mercado imobiliário pós-pandemia têm acompanhado as necessidades das pessoas que ainda continuam em isolamento ou possuem novas preferências no quesito qualidade de vida. Prédios com fachadas com design; imóveis com varanda e terraço; espaços próximos à natureza, sustentáveis e espaços comuns com mais áreas verdes; ambientes otimizados para home office e espaço delivery e utilização de intervenções artísticas nos espaços comuns como forma de valorizar o empreendimento são algumas das tendências que viraram realidade – conclui.

COMPARTILHE