Niterói por niterói

Publicado

Desde o início do ano, número de mortes por Covid quadruplicou no Rio de Janeiro

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Duas das nove regiões de saúde do Estado já estão em bandeira vermelha, com risco alto de transmissão da doença. Niterói permanece em bandeira laranja, de risco moderado
covid 14
No período de 18 a 25 de janeiro, a taxa de positividade para SARS-COV-2 em testes RT-PCR foi de 64%.. Foto: Divulgação

Do início do ano, até o último dia 22 de janeiro, o número de internações em decorrência de Covid, no Estado do Rio de Janeiro, mais que dobrou. Porém, o número de óbitos quadruplicou. Em números, representam, respectivamente, um aumento de 309 para 637; e de 35 para 157.

Os dados constam da 66ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (28.01) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).  A análise faz a comparação da terceira semana epidemiológica (SE) deste ano, a (SE 03, de 16 a 22 de janeiro), com a primeira, a SE 01 (de 02 a 08 de janeiro).

Niterói já teve 30 mil casos de Covid este ano – mais do que em todo o ano passado.

De acordo com a SES, apesar do número de casos em janeiro de 2022 ser 181% maior que o registrado no mesmo período de 2021, o número de internações é 78,9% menor  e o número de óbitos, 1.078% menor.  Em janeiro de 2021, foram registrados 86.731 casos,  8.797 internações e 4.146 óbitos. Já de 01 a 27 de janeiro deste ano, foram notificados 243.756 casos, 1.849 internações e 358 óbitos. Na avaliação da Secretaria, os dados demonstram a eficácia da vacinação.

Os indicadores apontaram ainda que, no período de 18 a 25 de janeiro, a taxa de positividade para SARS-COV-2 em testes RT-PCR foi de 64%. Na última quinta-feira (27), a taxa de ocupação de leitos para Covid-19 estava em 63% para UTI e 50% para enfermaria.

De acordo com a SES, o Estado do Rio de Janeiro permanece em bandeira laranja, de risco moderado para Covid-19. Isso porque sete das nove regiões de saúde do estado –  Baixada Litorânea, Centro Sul, Médio Paraíba, Norte, Serrana e as Metropolitanas I (Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Magé, São João de Meriti, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, Queimados, Japeri, Seropédica e Itaguaí) e II (Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim)  –  ainda aparecem em bandeira laranja, com risco moderado. Porém, as regiões Noroeste e Baía da Ilha Grande já estão em bandeira vermelha, com risco alto de transmissão da Covid-19.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

– A Ômicron, que é a variante em circulação, tem alta taxa de transmissibilidade, porém, com o avanço da campanha de vacinação, estamos observando que o número de casos graves e óbitos não cresceu na mesma proporção. Diante deste cenário, acionamos o nosso plano de contingência e já revertemos 338 leitos, sendo 117 UTI. Podemos converter mais leitos nos próximos dias, de acordo com a necessidade. Além disso, ampliamos a capacidade de testagem para Covid-19 e suspendemos temporariamente as cirurgias eletivas  – esclareceu o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

 

 

COMPARTILHE