Niterói por niterói

Publicado

Convenção do PSB confirma candidatura de Freixo para governador, mas cargo de vice segue vago

Por Sônia Apolinário
| aseguirniteroi@gmail.com
Partido também lançou Molon para o Senado, o que pode azedar a aliança com o PT no Estado do Rio
convenção psb
No centro, Alessandro Molon, presidente do PSB-RJ, entre Marcelo Freixo (E) e Carlos Minc, vice-presidente do partido. Foto: Divulgação PSB

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) abriu, nesta quarta-feira (20), o período de convenções eleitorais fluminenses. Em evento realizado no Clube de Engenharia, no Centro do Rio, o partido oficializou, “em caráter irrevogável”, a candidatura do deputado federal Marcelo Freixo para o governo do Estado.

Ainda foi aprovado, por unanimidade, que o também deputado federal e presidente estadual do PSB, Alessandro Molon, será o candidato ao Senado pelo partido. A decisão não tem o apoio do PT, que apoia Freixo mas quer lançar para o Senado o presidente da Alerj e deputado petista André Ceciliano.

Na disputa pelo governo do Rio, o PSB já conta com uma aliança formada com PT, PCdoB, PV, Rede e PSOL, batizada de Frente Democrática. O PT, porém,  já tinha deixado claro que a aliança teria de incluir a candidatura de Ceciliano para o Senado, numa dobradinha chancelada pelo ex-presidente Lula.

A decisão do PSB de lançar Molon vai provocar reação do PT, que já fala em adiar sua convenção no estado para discutir o que fazer.

Em nota divulgada no último dia 5 de julho, o PSB/RJ já lembrava que o Congresso Estadual do partido aprovara, por unanimidade, em dezembro do ano passado, “a linha política para as eleições de 2022 e as pré-candidaturas de Marcelo Freixo para o governo do estado e de Alessandro Molon para o Senado, com o objetivo de construir o melhor palanque para a vitória do presidente Lula e derrotar o bolsonarismo e seus representantes no Rio de Janeiro”.

Para Molon, sua candidatura ao Senado é a única, no Rio, “com condições de derrotar a do Romário e o bolsonarismo”:

– Na CPI da Covid, a população do Rio de Janeiro sentiu falta de um senador capaz de lutar pela saúde e as vida das pessoas. Neste momento, não podemos ter ambiguidades nem fazer concessões. Só existem dois lados: o do Bolsonaro e o da democracia, e a nossa candidatura é a da democracia – disse Molon.

Sem vice

Havia a expectativa que a convenção do PSB/RJ oficializasse, também, o nome do vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PSDB), como vice na chapa encabeçada por Marcelo Freixo. Nada, porém, foi falado a respeito do cargo, que continua vago, e a questão segue em impasse.

O PSDB chegou a confirmar a indicação de Maia para ser vice de Freixo, mas a aliança enfrenta resistência do Cidadania, que tem preferência por apoiar Rodrigo Neves (PDT) na disputa pelo Palácio das Laranjeiras.

O deputado Freixo minimizou a situação:

– É normal que, de vez em quando, tenhamos embate, faz parte da democracia. O PSB é um projeto importante, por onde, provavelmente, vai passar a aliança do campo democrático no Rio de Janeiro. Já temos seis partidos consolidados defendendo juntos a democracia e podemos chegar a oito partidos. Eu e Molon trabalhamos unidos na Câmara dos Deputados. Junto com Molon, podemos mudar a história do Rio de Janeiro – afirmou Freixo, durante a convenção.

Leia mais: Quase dois mil jovens, entre 16 e 17 anos, votarão pela primeira vez em Niterói

Calendário eleitoral

A partir desta quarta-feira, as convenções partidárias para escolha dos candidatos às eleições de outubro estão autorizadas pela Justiça Eleitoral. Os eventos internos das legendas marcam a oficialização da disputa eleitoral e devem ser realizados até 5 de agosto.

Pela legislação eleitoral brasileira, os candidatos precisam estar filiados a um partido político. Diante do grande número de filiados que pretendem concorrer, as legendas precisam realizar eleição interna para ocupar as vagas que estarão em disputa.

Após as convenções, partidos e federações poderão registrar as candidaturas dos escolhidos na Justiça Eleitoral até 15 de agosto.

O registro dos candidatos à presidente da República e vice-presidente deverá ser feito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Já os candidatos aos cargos de governador, senador, deputado federal, estadual e distrital deverão solicitar os registros nos tribunais regionais eleitorais (TREs).

A partir do dia 16 de agosto, os candidatos estão liberados para fazer propaganda eleitoral na internet e nas ruas. Até 1º de outubro, um dia antes do primeiro turno, está liberada a realização de caminhadas, carreatas com carro de som, distribuição de material de campanha, comícios e compra de publicidade paga nos meios de comunicação. O segundo turno está marcado para 30 de outubro.

 

COMPARTILHE