Niterói por niterói

Lupulinário

Por Sônia Apolinário

Sônia Apolinário é jornalista tendo trabalhado nos principais jornais do país, sempre na área de Cultura. Também beer sommelière, quando o assunto é cerveja e afins, ela se transforma na Lupulinário.
Publicado

Cervejeiros de Niterói se mobilizam para ajudar Petrópolis

Reprodução rede social

A Associação de Cervejeiros Artesanais de Niterói e São Gonçalo (Acerva Niterói) iniciou campanha para arrecadar doações para as pessoas atingidas pelas recentes chuvas que causaram grande destruição na cidade serrana de Petrópolis (RJ).

Alimentos não perecíveis, material de higiene e limpeza, água potável, roupas e cobertores são os principais itens que estão sendo solicitados pelas autoridades do município.

Em Niterói, dois espaços estão recebendo doações, até o próximo sábado (19): Noi Jardim Icaraí (até sexta-feira, das 16h às 23h – Rua Ministro Otávio Kelly, 174) e Vila Cervejeira (sábado, das 15h às 23h – Rua Prof. Heitor Carrilho, 250, Centro). As doações serão levadas para Petrópolis no domingo (20).

Em 2017, Petrópolis foi declarada Capital Estadual da Cerveja. Ao todo, 19  marcas têm sede na cidade, a maioria com fábrica própria. Três delas são de grande porte: Bohemia (AmBev), Império e Grupo Petrópolis, que tem instalações também na vizinha Teresópolis.

Quatro cervejarias da cidade tiveram suas instalações inundadas, com registro de danos materiais: Doutor Duranz (tanto a fábrica próxima do Centro, quanto o bar, no distrito de Correas), Odin (Centro), Sampler (Centro) e Brewpoint (bar, no Centro). Todas estão fechadas para limpeza.

As marcas integram a Rota Cervejeira do Rio de Janeiro que reúne cervejarias de várias  cidades serranas. Algumas delas também estão recebendo doações, inclusive em Petrópolis mesmo, mais precisamente, no distrito de Itaipava, como é o caso do brewpub Da Corte.

As outras cervejarias que estão recebendo doações são: Alpendorf e Barão (Nova Friburgo), Mad Brew e Kanton (Teresópolis), Rota Imperial (Guapimirim) e Ambev Macacu (Cachoeiras de Macacu).

O Grupo Petrópolis liberou funcionários para prestarem socorro às vítimas das chuvas, que incluem colaboradores da empresa que tiveram suas casas atingidas. A empresa também está distribuindo água em comunidades da região.

A atividade cervejeira se tornou forte na cidade a partir de uma lei que regulamentou o setor e facilitou a instalação de microcervejarias e brewpubs.  Somente as marcas de micro e pequeno portes da região são responsáveis pela produção de cerca de 1 milhão de litros de cerveja, por ano. Estima-se que o setor empregue cerca de 2 mil pessoas, direta e indiretamente.

O turismo cervejeiro é forte em Petrópolis e região. Seu fomento é uma das funções, por exemplo, da Rota Cervejeira RJ. Praticamente todas as fábricas promovem beer tours – uma atividade que começava a ser retomada, após dois anos de paralisação por conta da pandemia do coronavírus.

Leia mais: Onde pedir régua de degustação de cerveja em Niterói

COMPARTILHE