Niterói por niterói

Publicado

Viradouro brilha mas enfrenta grandes desfiles no carnaval de 2024

Por redação
| aseguirniteroi@gmail.com

COMPARTILHE

Portela, Mocidade e Imperatriz também aparecem na disputa do título
image - 2024-02-13T114851.565
Comissão de frente da Viradouro representou a serpente sagrada Dangbé. Foto: Reprodução
Um desfile perfeito, foi assim que o cronista Aydano André Motta descreveu em artigo no Globo a passagem da Viradouro pela Marques de Sapucaí, a última escola a desfilar na madrugada desta terça-feira (13). A escola de Niterói encantou desde a abertura do desfile com uma serpente fluorescente, que abriu caminho para a passagem da escola. Para ele, a escola aparece como favorita ao título de 2024.
Mas a disputa não vão ser fácil: a Portela foi eleita a melhor escola  pelo júri do Estandarte de Ouro, com o enredo “Um defeito de cor”, a história das “negras mães de todos nós”.  A Imperatriz Leopoldinense reuniu o maior número de prêmios: melhor ala, mestre-sala, porta-bandeira, puxador e samba-enredo. Mocidade, Mangueira e  Salgueiro também foram premiadas.  O Estandarte de Ouro é uma realização dos jornais O GLOBO e Extra.
Arroboboi Dangbe!

A Viradouro entrou na passarela do samba às três horas da madrugada. Mas o horário não atrapalhou o desfile da escola de Niterói, que exibiu entusiasmo e contagiou o público com o enredo “Arroboboi Dangbe!”, baseado nas crenças voduns dos povos africanos que viviam na Costa da Mina, região onde atualmente está Gana, Togo, Benim e Nigéria.

Vodum era o nome usado para representar as divindades ou forças invisíveis do mundo espiritual Segundo a tradição original, as mulheres são escolhidas e iniciadas em ritos de louvor à serpente sagrada conhecida como Dangbé — a cobra que engole a própria cauda para dar equilíbrio. Segundo estes orixás, nada começa nem termina, tudo avança, tudo retorna.

Estas mulheres formavam uma poderosa irmandade de guerreiras voduns, com inteligência, fé, armas implacáveis e espiritualmente invencíveis. Estas mulheres formavam uma poderosa irmandade de guerreiras voduns, com inteligência, fé, armas implacáveis e espiritualmente invencíveis.

O samba não aparecia entre os mais destacados do ano mas a escola soube apresentar o enredo, com muitas cores e cantando com entusiasmo. Foram 3 mil componentes em 23 alas, 6 carros e 2 tripés. 1º casal: Julinho Nascimento e Rute Alves. Bateria: Mestre Ciça.

Para Aydano André Motta, ” a escola de Niterói passou perfeita pela pista para se consolidar como favorita absoluta ao título de 2024. “

Estandarte de Ouro:

  • Escola: Portela
  • Samba-Enredo: Imperatriz Leopoldinense
  • Bateria: Estação Primeira de Mangueira
  • Enredo: Portela
  • Comissão de Frente: Unidos do Viradouro (Priscila Mota e Rodrigo Neri)
  • Puxador: Imperatriz Leopoldinense (Pitty de Menezes)
  • Mestre-Sala: Imperatriz Leopoldinense (Phelipe Lemos)
  • Porta-Bandeira: Imperatriz Leopoldinense (Raphaela Teodoro)
  • Ala: Imperatriz Leopoldinense (Sonhar com Rosas)
  • Ala das Baianas: Beija-Flor de Nilópolis
  • Ala de Passistas: Mocidade Independente de Padre Miguel
  • Inovação: Acadêmicos do Salgueiro (cachoeira de led)
  • Personalidade: Portela (Vilma Nascimento)
  • Revelação: Unidos do Porto da Pedra (Mestre Pablo)
  • Escola da Série Ouro: Estácio de Sá
  • Samba-Enredo da Sério Ouro: Estácio de Sá
  • Categoria Fernando Pamplona: Arranco do Engenho de Dentro

COMPARTILHE