Niterói por niterói

Publicado

Sem dados no ConecteSUS, vacinados em Niterói temem não comprovar imunização

Por Livia Figueiredo
Moradores reclamam que doses não foram lançadas no sistema, que é o “passaporte sanitário” mais aceito para viagens e eventos
Foto- Reprodução de tela
Foto: Reprodução de tela

A poucos dias do passaporte de imunização ser exigido para ingresso em espaços públicos de uso coletivo e eventos realizados em Niterói, quem se vacinou na cidade ainda enfrenta problema para garantir o seu comprovante de vacinação contra a Covid. O ConecteSUS, plataforma que consolida diversos dados relacionados à saúde, tem apresentado falhas, como doses não lançadas no sistema. Sem orientação municipal, as pessoas não encontram o caminho mais indicado para esse tipo de situação.

Há relatos de que apenas uma das doses aparece no sistema. Em alguns casos a primeira e em outros, apenas a segunda. O resultado é que os vacinados em Niterói estão reféns da caderneta de vacinação, que não necessariamente é aceita pelo Brasil e para viagens. Muito menos o comprovante entregue nos postos da cidade. Caso o papel se perca ou se deteriore, as pessoas ficariam impossibilitadas de circular em determinados locais, mesmo vacinadas.

O estudante de gastronomia, Pedro Viviani, tomou a segunda dose no dia 8 de setembro na Policlínica Sergio Arouca, na Vital Brazil e, até agora, o registro não foi computado no sistema do ConecteSUS. Ele diz que a primeira dose também demorou a aparecer no sistema, que ele define como desorganizado:

– Acho que há um problema grave de comunicação do posto com o sistema do ConecteSUS. É muito desorganizado. Conheço algumas pessoas que tiveram o mesmo problema que eu, inclusive minha irmã. Eu tomei a segunda dose no início de setembro, já vai dar um mês. Minha primeira dose eu tomei em junho e só em agosto que apareceu no ConecteSUS. Eu vou esperar um pouco e se não entrar até mês que vem eu vou lá no posto e vou ver o que tenho que fazer.

Pedro Viviani tem apenas uma dose lançada no ConecteSUS. Foto: Reprodução

Mariana Viviani, irmã de Pedro, tomou a primeira dose no final de maio mas, até a última segunda-feira, a aplicação não havia sido lançada. Só a segunda dose, por mais estranho que pareça. Preocupada com a exigência do comprovante no começo de outubro, ela foi ao posto para receber orientações sobre o que fazer e teve o dado registrado no sistema no mesmo dia..

Paulo Oliveira, 56 anos, tomou a sua primeira dose no início de junho. Ao entrar no ConecteSUS, cinco dias após a vacina, não encontrou nenhum registro. Ele continuou monitorando por mais dois meses e nada aconteceu. Paulo, então, decidiu ligar para a Fundação Municipal de Saúde de Niterói para pedir uma orientação sobre que atitude poderia tomar.

– Eu liguei para a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e eles me passaram o contato da Coordenadoria de Vigilância Sanitária (Covig). Entrei em contato e a pessoa que me atendeu me pediu para enviar um e-mail com meu comprovante de vacinação e meu CPF. Dois dias depois foi regularizado. Acho que pode ser um problema de transmissão de dados. Estou ouvindo relatos de outras pessoas que estão tendo esse problema também, mas no meu caso, a minha vacina não foi sequer cadastrada. Era como se eu não tivesse tomado. Engraçado que a segunda dose eu tomei e apareceu instantaneamente.

Por e-mail, a Covig esclareceu que, a partir do mês de julho, os dados do usuário vacinado passaram a ser inseridos imediatamente no sistema e que os municípios têm a obrigatoriedade de inserir a informação do usuário vacinado no Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). A migração dos dados para o Conecte SUS, contudo, é de atribuição federal e, não, municipal.

Procurada pelo A Seguir: Niterói nesta segunda-feira (27) e também na terça-feira (28), a Prefeitura não respondeu aos questionamentos da reportagem sobre o que fazer para regularizar o lançamento das doses no ConecteSUS.

População pode recorrer aos canais oficiais da Prefeitura

Nesta quarta-feira à noite (29), a Prefeitura respondeu ao A Seguir:Niterói. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Niterói esclareceu que o ConecteSUS é um sistema do Ministério da Saúde, portanto de administração federal. Quando há identificação de algum erro no sistema, a SMS entra em contato com a secretaria de Estado de Saúde e solicita a correção. A população pode procurar os canais oficiais da Prefeitura de Niterói ao identificar problemas com o lançamento de doses da vacina.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email