Niterói por niterói

Publicado

São Gonçalo é o primeiro município com mais de um milhão de habitantes a completar vacinação

Vacinação fora dos grupos prioritários de pessoas mais de 60 anos e com comorbidades teve baixa adesão: pouco acima da metade da população
Vacinação fora dos grupos prioritários de pessoas mais de 60 anos e com comorbidades teve baixa adesão- pouco acima da metade da população

São Gonçalo foi o primeiro município do estado do Rio com mais de um milhão de habitantes a oferecer a vacina a todos os grupos elegíveis no Plano Nacional de Imunização, que considera maiores de 18 anos. De acordo com a prefeitura do município, 544.627 pessoas receberam a primeira dose ou a dose única, cerca de metade da população do município, estimada pelo IBGE em 1,090 milhão. Deste total, 164.679 pessoas, cerca de 16% do total, completaram a imunização, com a vacina da Jannsen, em dose única, ou com as duas doses da CoronaVac, da Pfizer ou da AstraZeneca.

O número mostra uma abstenção forte na vacinação na cidade e o risco da imunização com as duas doses ficar abaixo de 50% da população. Pelos dados divulgados, pouco mais de 350 mil pessoas devem voltar aos postos em até 90 dias para completar a imunização com a segunda dose da vacina. Em todo o Brasil, o Ministério da Saúde vem registrando faltas no comparecimento na data marcada para a segunda dose. A desinformação promovida pelo governo federal, a influencia de lideranças locais e de líderes religiosos contrários à vacinação e as dificuldades de acesso são fatores que influem na adesão à vacinação nos estados e municípios.

Vacinação continua em São Gonçalo

A Prefeitura de São Gonçalo prefere analisar a campanha por outros números. Considera a população elegível para a vacinação, um total de 851.886 moradores com mais de 18 anos. Por este critério, a vacinação atingiu até agora 63,3% com a primeira dose e 19,3% com a imunização completa.

A Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo entende também que não se pode

falar em abstenção, uma vez que os postos de vacinação seguem abertos para a aplicação da segunda dose, e também para receber moradores que tenham perdido a data de vacinação quando seus grupos foram convocados. Todos os moradores elegíveis para a vacinação poderão procurar os postos de saúde e se vacinar, sem problemas.

A Secretaria de Saúde ampliou o horário de atendimento em duas unidades até 21h durante os dias de semana e está preparando outras estratégias para garantir o acesso de toda a população ao processo de imunização, inclusive com atendimento nos bairros mais remotos.

– É muito importante garantir que as pessoas possam se vacinar quando elas podem e não em dias específicos, o que pode comprometer a vacinação – disse o Secretário de Saúde, André Vargas.

São Gonçalo bateu recorde de vacinação contra o coronavírus no dia em que ampliou a aplicação da vacina para os jovens com mais de 18 anos. Foram 22.213 vacinas aplicadas na sexta-feira (9) e mais 14.028 no sábado (10) entre a primeira e a segunda doses. O Prefeito Capitão Nelson percorreu alguns pontos de vacinação do município e no final da tarde, no Clube Mauá, disse que a vacinação já traz resultados para o município:

– O resultado da vacinação reflete diretamente na ocupação dos leitos. O Hospital de Retaguarda está com apenas três leitos de enfermaria ocupados e isso mostra que a vacinação dá resultado, que a vacina é eficaz -, destacou.

Atualmente, São Gonçalo está na fase “Amarelo 1”, com baixo risco de contaminação do coronavírus. Os leitos de enfermaria e do Centro de Tratamento Intensivo das unidades que atendem o coronavírus tinham disponibilidade de 82% e 56% das vagas, respectivamente, na sexta-feira.

As lições de São Gonçalo

A experiência de São Gonçalo na vacinação, sendo a primeira cidade deste porte a convocar toda a população elegível, acima de 18 anos, mostra situações que podem se repetir em outras cidades, em maior ou menor escala.

A adesão às campanhas depende em grande medida do esforço para informar a comunidade sobre a importância da imunização e a garantia de acesso à vacinação. Mas não se dá por igual em todos os grupos. Com os dados disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo até a vacinação do grupo acima de 22 anos, na quinta-feira (8), era possível constatar:

A vacinação do grupo prioritário de mais de 60 anos teve maior adesão que em outras faixas etárias: 75%.

A vacina não teve a mesma adesão entre os jovens: no grupo de maiores de 22 anos, apenas 54% se vacinaram.

O grupo como maior resposta à campanha foi o de pessoas com comorbidades: 82,5% se apresentaram para a vacinação.

Entre os grupos profissionais, a adesão também variou. Profissionais de Saúde, o grupo mais exposto ao coronavírus, compareceram em massa: 87%. Professores tiveram comparecimento de 75%; profissionais de segurança de apenas 14,4%.

Apesar da vacinação já ter coberto todos os grupos elegíveis, o esforço continua:

– A vacina não impede a pessoa de ser contaminada, mas evita que evolua para a forma mais grave da doença. Sendo assim, é extremamente importante termos a conscientização porque a pandemia ainda não acabou e compete a cada um de nós, como cidadãos, fazer a nossa parte – explicou Dr. André Vargas.

Na sexta-feira (9), São Gonçalo somava 100.799 casos confirmados de Covid e 2.770 mortes, com outros 78 casos em investigação.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email