Niterói por niterói

Publicado

Mensagens sobre guerra de facções de traficantes provocam tensão em bairros de Niterói

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Professores da UFF cancelaram aulas devido a mensagens que viralizaram sobre toque de recolher e arrastões
Design sem nome (95)
Polícia Militar intensificou policiamento no entorno às comunidades do Palácio e Estado. Foto: PMERJ

Um clima de pânico tomou conta de alguns bairros de Niterói, nesta quinta-feira (26). Mensagens que circularam ao longo do dia em diversos canais de comunicação online alertaram para um possível toque de recolher, a partir das 18h, nos morros do Palácio (Ingá) e Estado (Centro). Seria um alerta para os moradores se protegerem de um suposto confronto entre facções rivais em disputa por pontos de vendas de drogas.

A polícia não comentou sobre o conteúdo das mensagens que viralizaram nesta quinta-feira, mas informou que reforçou o policialmente nessas regiões. “O comando do 12ºBPM (Niterói) determinou dar prosseguimento ao policiamento reforçado nas regiões mencionadas, salvaguardando os moradores”, informou a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar.

Uma das mensagens que circulou nas redes sociais nesta quinta-feira sobre um suposto toque de recolher e ameaça de arrastão. Imagem da internet

Tensão se deve à disputa entre facções na cidade

Há pelo menos uma semana é possível ouvir tiros, ao longo da madrugada, nas áreas próximas aos morros do Palácio e do Estado. Segundo moradores, no morro do Estado o clima é de muita tensão e medo com os tiroteios frequentes.

Nesse período, começaram a circular as informações sobre  disputa dos pontos de venda de drogas nos dois morros por facções rivais. Nesta quinta-feira, o tom das mensagens “subiu”. Além do toque de recolher, falava também em arrastões que estariam sendo planejados para acontecer nos bairros do Ingá e de Icaraí. A polícia, porém, não confirmou a autenticidade das mensagens.

A polícia justificou a decisão de “dar prosseguimento” ao reforço do policiamento por ter identificado “uma indicação de disputas de facções criminosas para o controle do tráfico de drogas” nos morros do Palácio e Estado. Os indícios, de acordo com a polícia, foram provocados por um homem baleado que deu entrada no Hospital Estadual Azevedo Lima e outro encontrado morto no morro do Estado.

Esses fatos aconteceram no início do mês e, de acordo com a nota da Secretaria de Estado de Polícia Militar, determinaram o início do reforço do policiamento “montando cerco na localidade, com emprego do Grupamento de Ações Táticas e de viatura blindada”.

Na dúvida em relação à veracidade das mensagens, alunos dos diferentes campi da UFF voltaram para casa mais cedo. Oficialmente, a Universidade Federal Fluminense não cancelou as atividades da noite. No entanto, o Bandejão fechou para o jantar.

Até o fechamento desta edição, às 18h, a cidade “funcionava” sem problemas aparentes. No Ingá, o comércio continuava aberto, o movimento de veículos registrava um leve congestionamento devido ao horário do rush, e as pessoas circulam normalmente pelas calçadas, a pé, de bicicleta, com crianças ou passeando com seus pets.

COMPARTILHE