Niterói por niterói

Publicado

Rodoviários iniciam série de assembleias por reajuste salarial

Por Livia Figueiredo
Sem aumento da categoria há dois anos, proposta de reajuste salarial foi aprovada na manhã desta terça-feira (28)
Rodoviários iniciam assembleias por reajuste salarial. Foto- Divulgação:Sintronac
Rodoviários iniciam assembleias por reajuste salarial. Foto: Divulgação/Sintronac

Rodoviários de quatro empresas aprovaram, na manhã desta terça-feira (28), em assembleia, a proposta de reajuste salarial de 10% e aumento de 20% nas demais cláusulas econômicas do contrato de trabalho com as empresas de ônibus, além de R$ 400 para o valor da cesta básica e comissão de 2% para os motoristas que acumulem a função de cobrador. Com a decisão, os trabalhadores subiram o tom nas negociações com os patrões, que já estavam irredutíveis em aceitar 8% de reajuste salarial, propostos anteriormente. Em assembleia realizada na manhã desta terça, o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira, falou abertamente em greve, caso não tenha nenhum aceno de negociação por parte das empresas até 1º de novembro.

O primeiro dia de assembleias foi realizado na Sede Social do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) e 153 trabalhadores das empresas Galo Branco, Estrela, Nossa Senhora do Amparo, 1001 e Opção participaram da votação. Deste total, 119 aprovaram o encaminhamento da nova proposta para a classe patronal.

Na manhã desta terça-feira (28), a proposta de reajuste salarial venceu com 55 votos de um total de 75 votantes. Participaram da assembleia os rodoviários das empresas Auto Ônibus Alcântara S.A, Icaraí Auto Transportes S.A, Auto Viação ABC S.A, Viação Mauá S.A. As deliberações, que ocorrerão até 1º de outubro, foram divididas em grupos de empresas e em dois turnos, pela manhã e à tarde, para evitar aglomerações. O uso de máscara de proteção é obrigatório.

Trabalhadores de 30 companhias dos municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Tanguá foram convocados para as discussões. As cláusulas econômicas indicadas na proposta dos trabalhadores são: hora-refeição e auxílio-uniforme. Também está inserida nas negociações da categoria a instalação de cofres nos pontos finais de maior circulação de passageiros para que os rodoviários não transportem grandes somas de dinheiro durante as viagens, o que pode colocar a segurança em risco.

As decisões dessas reuniões afetam 8,6 mil trabalhadores de 30 empresas dos cinco municípios, que operam 438 linhas municipais e intermunicipais, em uma frota de 3,5 mil ônibus, e transportam aproximadamente 36 milhões de passageiros por mês. Sem aumento da categoria há dois anos e com prejuízos significativos devido às medidas de isolamento social, o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira, ressalta que a categoria está unida em torno da questão do reajuste salarial.

– Estamos ainda no início da série de assembleias. Estamos sem aumento há dois anos, o que representa perdas econômicas devastadoras para os trabalhadores diante do quadro inflacionário do país.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email