Niterói por niterói

Publicado

Roda de samba no alto de trio elétrico abre o Carnaval de rua de Niterói

Por Sônia Apolinário
| aseguirniteroi@gmail.com

COMPARTILHE

No comando, a cantora Monica Mac. Evento será no domingo (28), na Avenida Litorânea, na Boa Viagem. Bloco seguirá para a praça da Cantareira
Monica Mac em roda de samba no Carnaval de 2023
A cantora Monica Mac fará sua estreia como puxadora de bloco de carnaval. Foto: Divulgação

No alto de um trio elétrico, uma roda de samba abre o Carnaval de rua de Niterói, no próximo domingo (28). No comando, a cantora Monica Mac que estreia como “puxadora” de bloco, na cidade. Junto com ela, oito músicos vão desfilar pela Litorânea, em Boa Viagem, até a praça da Cantareira. Lá, o bloco vira baile.

Na concentração, na altura da ponte para a ilha da Boa Viagem, o esquenta fica a cargo da Oficina das Minas, no chão mesmo, a partir das 12h.  Trata-se de um projeto social, tocado por 12 artistas, direcionado à inclusão de mulheres na música, com ênfase no samba.

Leia mais: Parque do Morcego tem previsão de inauguração em março

O trio elétrico “Niterói Mac Samba Cultural” sai às 14h e deve chegar na Cantareira por volta das 16h, o que não significa o fim da festa. Com o veículo parado na praça, os músicos seguem tocando até às 18h.

– Vai ter de tudo, MPB, Axé, marchinha e, claro, muito samba como costumo cantar nas rodas que participo pela cidade. Na Cantareira, a ideia é que a praça se transforme em um baile de Carnaval a céu aberto, com muita paz e alegria – informou Monica.

A cantora niteroiense é presença certa nas mais diversas rodas de samba da cidade. Afinal, são 25 anos de “estrada”, sendo 12 anos, direto, no bar Mãe d’Água, na Cantareira – o motivo pelo qual ela quis que o desfile terminasse na praça.

Monica conta que a ideia de criar um bloco foi sugestão de um amigo, que ficou na sua cabeça por algum tempo:

– Eu achava que ter um bloco era algo impossível porque envolve muita burocracia. Eu não tinha nem ideia de por onde deveria começar – contou ela que recebeu dicas providenciais da amiga vereadora Benny Briolly  para colocar o bloco na rua. – Estou me sentindo privilegiada. É muita coisa boa envolvida, com muita gente ajudando. Sou grata a todos.

O bloco conseguiu um subsídio da Prefeitura de Niterói. A cantora, porém, vai vender camisas (R$ 60) e canecas (R$ 25) com o objetivo de arrecadar fundos para, como ela diz, “dar mais conforto para os músicos” no alto do trio elétrico. Estarão lá: Hernani Valente (cavaco), Ginho da viola (violão), Almir Sodré (pandeiro), Juliana Corado e Daniel Boechat (percussão), Dudu Magalhães (surdo), Tiago Souza (bandolim), Pauli Zerbini (voz).

As vendas começam nesta segunda-feira (22), a serem feitas pela própria Monica, a partir das 17h, no bar Berton (rua Geraldo Martins, 54, no Jardim Icaraí), onde costuma cantar. Ela explicou que o bloco não terá cordão para separar quem tem camisa de quem não tem:

O desenho da camiseta do bloco foi presente do filho de 11 anos de um amigo músico.

– Não terá nada de diferente para quem tem a camisa. Quem comprar será só para ajudar os músicos mesmo, só para colaborar.

E quem pensa que o MAC no nome da cantora é uma forma de homenagear Niterói, se engana. É apenas a abreviação do seu sobrenome Maccormick, que herdou do bisavô, de origem irlandesa, e que os amigos achavam muito complicado de pronunciar.

Porém, a ideia de homenagear a cidade no nome é algo que deixa Monica muito feliz:

– Eu tenho uma grande paixão por Niterói. Já cantei em todos os principais locais da cidade, da Toca da Gambá ao Candongueiro, passando por vários bares. Não nego minhas raízes, mas sou mais antiga do que o museu (Museu de Arte Contemporânea, MAC) – disse ela soltando uma sonora gargalhada.

Se tem uma coisa que Monica não gosta muito é de ser chamada de Rainha das rodas de samba de Niterói, apesar de “estar em todas”. O motivo?

– Eu tenho dificuldade para me reconhecer. Eu apenas amo cantar. Quando canto samba, sinto uma energia grande, um poder divino muito grande. Talvez as pessoas me reconheçam mais do que eu porque percebem o amor que tenho pelo samba. Quando canto, fico meio fora de mim. Às vezes, não me reconheço porque é muita alegria e realização. Acontecia algo parecido com minha mãe, quando ela tocava o seu violino. A fisionomia dela mudava. Agora, com a oportunidade de ter o bloco, ainda me sinto um pouco dormente, sem acreditar. Tudo o que eu quero é que seja um dia lindo, com muita diversidade, alegria e respeito.

Samba do bloco

Compositores: Almir Sodré, Dudu Magalhães,Paulo Zerbini, Monica Mac e Hernani Valente

“Venha para o bloco do amor
Venha para o bloco da alegria
Traga seu axé e seu calor
Somando com a nossa energia

O nosso bloco, tem cavaco e tem tantam
E sob as bençãos de Ogum e de Nanã
Seja de Ogum,Oxossi ou Iansã
Seja bem vindo meu irmão e minha irmã

Venha para…

Nosso time ,é seleção e só tem craque
A união, é o nosso estandarte,
No carnaval de Niterói tem igualdade
O MAC bloco é o bloco da diversidade”

 

COMPARTILHE