Niterói por niterói

Publicado

Publicação de Padre Júlio Lancellotti debate arquitetura hostil em Niterói

Por da Redação
Postagem feita na rede social do clérigo mostra calçada sob viaduto no Ponto Cem Réis e acusa aporofobia
aporofobia
Imagem mostra calçada com pedras para evitar que pessoas se alojem sobre o viaduto no Ponto Cem Réis

Em uma publicação feita em sua rede social oficial, o padre Júlio Lancellotti (72), de São Paulo (SP), denunciou a hostilidade na arquitetura urbana de Niterói contra a população de rua. A imagem publicada nesta terça-feira pelo clérigo mostra a calçada sob o viaduto no Ponto Cem Réis, em frente à Igreja de São Lourenço da Várzea, coberta por pedras, uma característica muito encontrada na arquitetura urbana e conhecida como ‘aporofobia’.

Padre é ativista por uma arquitetura urbana mais humanizada. Print da postagem

De acordo com o dicionário da Academia Brasileira de Letras, ‘aporofobia’ (do grego á-poros, ‘pobre, desamparado, sem recursos’ + ‘fobia’, medo, repulsa), é o repúdio, aversão, desprezo ou hostilidade pelos pobres e pessoas em situação de pobreza ou miséria.

Estruturas semelhantes às notadas por Lancellotti na imagem podem ser observadas em espaços, como praças e calçadas, de espaços urbanos por todo o país, e que servem para evitar que pessoas em situação de rua se instalem ali.

O padre já chegou a destruir a marretadas uma estrutura semelhante à encontrada no bairro da Zona Norte de Niterói, ao perceber que os artefatos espalhados na calçada serviam para evitar que os mais pobres dormissem debaixo do viaduto. Desde então, Lancellotti debate o assunto, para que as prefeituras se sensibilizem e encontrem soluções para os problemas que levam as pessoas a ficarem sem moradia, no lugar de tornarem as cidades mais hostis para elas.

O A Seguir: Niterói questionou à Secretaria de Urbanismo e Mobilidade sobre a posição da pasta sobre os artefatos bloqueando a calçada sob o viaduto, e se a Secretaria possui planos de retirar as estruturas da calçada, mas até o fechamento da matéria não havia tido retorno.

COMPARTILHE