Niterói por niterói

Publicado

Prefeitura de Niterói prepara medidas para ‘normalizar’ a vida da cidade com a vacinação

Depois do Decreto de Transição para o Novo Normal, Prefeitura define como será a vida em Niterói
Prefeitura anuncia na terça-feira decreto com medidas para definir como será o Novo Normal. Foto- Reprodução Internet
Prefeitura anuncia na terça-feira decreto com medidas para definir como será o Novo Normal. Foto: Reprodução Internet

O Prefeito Axel Grael tem na agenda desta segunda-feira (13) uma série de encontros com setores representativos da sociedade para apresentar o plano de retomada das atividades em Niterói, diante do avanço da campanha de vacinação. A planilha de monitoramento da Covid que acompanhava vários indicadores da doença, como casos, mortes e internações, e estabelecia estágios de alerta e isolamento será trocada por um plano de volta ao normal. Ou quase. As restrições ao comércio vão cair, o acesso a lugares públicos será mais fácil. Mas a abertura ainda será escalonada.

Novo Normal e responsabilidade

O decreto de Transição para o Novo Normal, que já dura mais de um ano, foi elaborado com o objetivo de monitorar o avanço da pandemia e estabelecia medidas de restrição, a cada estágio da doença: amarelo, laranja, vermelho, incluindo o lockdown, que a cidade chegou a adotar duas vezes. Neste modelo, não havia previsão de volta ao normal, a bandeira verde, antes da vacinação da população, que, então, era ainda uma esperança.

– Agora, quando estamos concluindo a vacinação da população acima de 12 anos, estamos no momento de adotar uma nova metodologia. Medidas para administrar esta nova fase, passado o período mais difícil. Não quer dizer que não temos mais uma pandemia, o coronavírus continua a circular no Brasil. Mas temos uma situação nova diante dos avanços da vacina – explicou o Prefeito, na última live do Gabinete de Crise da Prefeitura.

Na prática, o Decreto de certa forma já ficou para trás. Embora a cidade permaneça no estágio Amarelo 2, de Alerta Máximo, quase todas as atividades já foram liberadas, ainda que seguindo protocolos de controle de público e distanciamento social. Com o novo modelo, a vida deve se aproximar ainda mais da normalidade. Mas ainda haverá protocolos e a divisão de responsabilidades com os setores da sociedade, como o comércio, bares e restaurantes.

– Não há como ter êxito no combate à pandemia sem responsabilidade – enfatizou o Secretário de Saúde Rodrigo Oliveira em entrevista ao A Seguir: Niterói. Ele explicou que a Prefeitura tem conversado com todos os setores da sociedade, comércio, serviços, bares e restaurantes, shoppings, escolas, clubes, igrejas, para conscientizar sobre a necessidade de atuar no controle da doença, cuidando dos protocolos de funcionamento.

As escolas oferecem um bom exemplo. Depois de mais de um ano de aulas suspensas, foram reabertas com a adoção de medidas bem definidas de controle epidemiológico, que passavam pela redefinição de horários, distanciamento de carteiras, práticas escolares, horários de recreio e controle de casos. Diante do surgimento de casos de Covid, as escolas podiam recomendar a suspenção de aulas de uma turma, das salas mais próximas, de um turno da escola até a suspensão das aulas. Nas últimas semanas, várias escolas cumpriram o protocolo e não houve casos expressivos de contágio, com o monitoramento da doença.

O desafio é levar o modelo para outras atividades. As escolas têm por definição um sistema baseado na educação e responsabilidade por sua comunidade, de menores de idade. Além disso, funcionam em espaço controlado, com conhecimento de quem entra e sai. Num mercado, num banco, num restaurante a lógica é outra, não se controla o movimento, por isto a atenção deve ser outra e a observação dos protocolos ainda mais cuidadosa. Por isto a rodada de conversas.

O Comitê Científico de assessoramento da Prefeitura também foi convocado no processo. O grupo, formado por especialistas da UFF, UFRJ e Fiocruz, alerta especialmente para o risco de atividades de aglomeração. Como shows em lugares públicos. O Réveillon, provavelmente, ainda não voltará a ter shows este ano e a queima de fogos deverá ser espalhada por diferentes endereços da cidade, para que as pessoas não precisem se concentrar na Praia de Icaraí, como costumava acontecer.

– O avanço é importante mas ainda será necessário manter alguma gestão do espaço público – adiante o Secretário de Saúde, sem se antecipar ao anúncio das medidas, que será feito apenas na terça-feira.

Medidas escalonadas

O calendário vai prever o escalonamento da abertura de atividades. Até porque a vacinação só estará completa com a segunda dose para todos em novembro. Por enquanto, apenas metade da população da cidade completou a imunização, um número, de qualquer forma, melhor que a média das cidades do Rio e do que os dos estados do pais com a vacinação mais avançada. As praias, mesmo liberadas, deverão permanecer com algum ripo de monitoramento.

Outra preocupação da cidade é o intenso fluxo de moradores entre Niterói, Rio e São Gonçalo. A cidade recebe trabalhadores de São Gonçalo, Itaboraí e Maricá, por exemplo, mas também tem uma parcela importante de moradores que trabalham no Rio e nas cidades da Região Metropolitana. A circulação no transporte público quebra as proteções da cidade para o controle da doença.

A questão da responsabilidade social também vai passar pela exigência de atestado de vacinação. A Prefeitura apontou para este caminho quando decidiu que os servidores públicos e funcionários de empresas prestadoras de serviços para o município devem apresentar atestado de vacinação.

A nova etapa vai abandonar o modelo automático de estágios de risco, mas não vai abandonar o controle da epidemia. O monitoramento vai se dar pelo acompanhamento dos casos da doença, com notificação, testagem e acompanhamento de pessoas que tiveram contato com o doente. Mas sempre que houver aumento de risco de transmissão poderão ser adotadas medidas de controle locais ou até para toda a cidade.

Outra coisa já definida é que Niterói vai manter o uso de máscara obrigatório em locais públicos, controle de entrada e medição de temperatura e medidas de proteção sanitária, como a lavagem das mãos e o uso de álcool em gel. Como costuma dizer o Prefeito, em toda entrevista sobre a pandemia: “Não podemos descuidar!”

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email