Niterói por niterói

Publicado

Prefeitura de Niterói concede Prêmio de Direitos Humanos ao Instituto GayLussac

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Homenagem é reconhecimento a instituições que promovem ações sociais e solidárias na cidade
Secretário de Direitos Humanos, Raphael Costa, e a diretora geral do GayLussac, Luiza Sassi. Foto: Marco Almeida
Secretário de Direitos Humanos, Raphael Costa, e a diretora geral do GayLussac, Luiza Sassi. Foto: Marco Almeida

Direitos humanos no currículo escolar. A iniciativa foi uma das razões para a Prefeitura de Niterói conceder o Prêmio Municipal de Direitos Humanos ao Instituto GayLussac. A homenagem aconteceu no dia 3 de novembro e foi entregue pelo Secretário de Direitos Humanos, Raphael Costa. O prêmio é uma forma de reconhecer o apoio da escola às causas sociais e solidárias de Niterói e incentivar que o exemplo se multiplique na cidade.

– O GayLussac foi muito importante, por exemplo, na campanha Niterói Solidária, pois foi a primeira doação enquanto instituição, com a primeira das toneladas que a escola arrecadou. Foi um incentivo para que outras instituições abraçassem a campanha. Hoje são mais de 50 toneladas arrecadadas! O prêmio é um gesto simbólico diante da grandeza de ações como essa. Esperamos que a comunidade de Niterói olhe para o GayLussac e veja uma luz no meio da escuridão marcada pelas desigualdades sociais da cidade, um farol que inspira um caminho de esperança. Que as pessoas abracem essas causas e percebam uma possibilidade de agir também – declarou o Secretário de Direitos Humanos, Raphael Costa.

O prêmio, criado pela Prefeitura de Niterói em julho de 2021 com objetivo de promover, incentivar e valorizar as iniciativas de Niterói pelos Direitos Humanos, é concedido por um comitê de avaliação, do qual fazem parte o Prefeito, Axel Grael, o presidente da OAB Niterói, Cláudio Vianna, o reitor da Universidade Federal Fluminense, Antônio Carlos da Nóbrega, e o presidente da Câmara de Vereadores de Niterói, Milton Cal, além dp Secretário Raphael Costa.

A escolha do Instituto GayLussac, entre outras indicações, foi unânime e se deu principalmente pela incorporação, em 2021, da disciplina Direitos Humanos e Salvaguarda ao currículo escolar a partir do 6º ano do Ensino Fundamental. Um aluno da escola compartilhou aprendizados:

– A disciplina de Direitos humanos é muito interessante e pode ser aplicada várias vezes na nossa vida em diferentes situações, como de honestidade e de ética, e em campanhas contra o preconceito e o bullying. A escola prepara a gente para usar tudo isso na nossa vida. Fazemos vários trabalhos e discussões, eu acho isso muito legal – afirmou o estudante Daniel Peçanha.

O GayLussac integra o Programa de Escolas Associadas à Unesco. A escola foi uma das primeiras do Brasil a se associar ao PEA e inserir no Projeto Político Pedagógico temas como: aprendizagem intercultural; valorização da diversidade e dos patrimônios culturais; estilo de vida e desenvolvimento sustentável; promoção da cultura da paz e da não violência; valorização do território nacional e também da cidadania global; valorização das Culturas, da Ciência e da Arte como mote primordial da educação. Assumindo, também, o compromisso de discutir sobre as mudanças climáticas e pensar coletivamente sobre os futuros da educação, temas previstos na Agenda 2030. Emocionada, a diretora geral do Instituto GayLussac, Luiza Sassi agradeceu a homenagem:

– Para quem trabalha com educação, o que traz sentido é promover ações que a gente acredita que possam transformar o mundo, que tenham uma intervenção efetiva na sociedade. E no GayLussac essa é a nossa causa! Sempre digo que nós não formamos cidadãos. A gente recebe cidadãos e vai formando-os em como exercer a cidadania, de maneira eles possam olhar para esse mundo e pensar: qual é a parte que eu posso fazer pra que esse mundo seja melhor? -, disse a educadora.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email