Niterói por niterói

Publicado

O que se sabe até agora sobre a nova variante do coronavírus com grande número de mutações

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Detectada na África do Sul, Omicron foi classificada pela OMS como “variante de preocupação” e pode oferecer risco maior de reinfecção da Covid que antecessoras
Para receber a segunda dose basta levar a carteirinha de vacinação da Covid-19 e um documento de identificação com foto nos locais de vacinação
Vacinação contra Covid em Niterói. Foto: Divulgação/Prefeitura

Uma nova variante do coronavírus detectada na África do Sul, batizada de Ômicron, deixou o mundo em estado de alerta e foi classificada nesta sexta-feira (26) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “variante de preocupação”.

A organização informou que evidências preliminares sugerem que essa variante oferece um risco maior de reinfecção da Covid-19 do que suas antecessoras. A variante B.1.1.529 foi descoberta pela primeira vez em Botsuana e, com seis casos de infecção confirmados na África do Sul, tem um “número extremamente alto” de mutações, o que pode levar a novas ondas da Covid.

Leia mais: Fiocruz pede à Anvisa registro para fabricar vacina contra Covid 100% nacional

A variante traz uma preocupação em particular quando o assunto é a imunização. Isto porque as vacinas foram desenvolvidas tendo como base o comportamento da cepa original do coronavírus, identificada inicialmente em Wuhan, na China. Embora, até o momento, haja poucas informações concretas disponíveis, cientistas temem que essa nova versão do coronavírus seja mais  transmissível e “drible” o sistema imunológico.

Em termos práticos, isso significa dizer que a nova variante pode acarretar  não apenas mais infecções, e um possível aumento de hospitalizações e óbitos, mas a possibilidade de que as vacinas disponíveis hoje possam ser menos eficazes contra ela.

Também se sabe, até o momento, que a variante tem dez mutações, em comparação com apenas duas da variante delta, de alta transmissibilidade no mundo.

A preocupação com a nova variante da Covid-19 tem feito países considerarem novas medidas restritivas a voos nas fronteiras. O portal CNN publicou um levantamento na tarde desta sexta-feira (26)  afirmando que 20 nações já haviam anunciado bloqueios totais ou parciais a viajantes saídos de países do sul da África.

O Itamaraty informou, em nota, que ainda não tem posicionamento sobre a conduta que o Brasil deve adotar em relação à nova variante.

Porém, segundo um comunicado emitido pelo Ministério da Saúde a secretarias estaduais e obtido pela CNN, a pasta já teria sido informada pela OMS que a nova cepa é classificada como “variante preocupante”.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que fossem implementadas medidas restritivas para voos e viajantes procedentes da região. Estão na lista os países África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

COMPARTILHE