Niterói por niterói

Publicado

Niterói prepara pacote de obras para estimular a retomada da economia

Plano prevê obras na Zona Norte, Região Oceânica e em toda a cidade; construção civil tem poder de alavancar emprego e outras atividades
Obras na orla da Lagoa de Piratininga estão em andamento
Obras na orla da Lagoa de Piratininga estão em andamento

Niterói começa a botar na rua os planos de recuperação da econômica do município, conforme a vacinação avança e a cidade volta a funcionar. A Prefeitura prepara um pacote de obras de grande porte e ações locais, apostando no potencial da construção civil de fazer a economia girar e de criar empregos. Pelos próximos quatro anos, o desenvolvimento das regiões Norte e Oceânica deve dar o tom da administração Grael.

Em conversas com a equipe e com entidades representativas dos mais diversos setores da sociedade, o Prefeito Axel Grael tem sinalizado a ação da Prefeitura: “Vamos tocar todas as obras que a cidade já aprovou. A construção civil é um setor que emprega muito e que movimenta uma cadeia de atividades importante para estimular a economia.”

Segundo ele, há grandes projetos, como a Orla da Lagoa de Piratininga e as obras de revitalização da Alameda São Boaventura e da Zona Norte. Mas também serão feitas intervenções nos bairros, projetos definidos pela comunidade, que serão tocados de forma integrada e com o apoio da iniciativa privada.

A estratégia

A proposta é tirar do papel todos os projetos o mais rápido possível. Para viabilizar a estratégia de retomada, a Prefeitura enviou à Câmara Municipal o projeto de lei do Plano Plurianual para o período 2022-2025 . No texto, o Executivo traz projetos específicos para o período. Entre as ações que já eram previstas e promessas de campanha, a Prefeitura vai priorizar a requalificação urbana da Região Norte, a urbanização de comunidades e a pavimentação e drenagem de bairros da Região Oceânica e a implantação do Parque Orla Piratininga, que já está em execução.

O Parque Alfredo Sirkis é o projeto mais ambicioso. Contempla a recomposição vegetal da orla da Lagoa, abrangendo uma área de mais de 150 mil metros quadrados. Prevê a despoluição da lagoa e a criação de novos espaço para esporte e lazer. O parque terá ciclovia, ecomuseu mostrando a história da lagoa, lugares para caminhada, parques infantis e para a terceira idade e atividades esportivas.

A Região Oceânica já tem também em andamento a reurbanização da orla. As obras na praia de Piratininga estão em curso e prometem recuperar a calçada destruída pelas ressacas e criar áreas de lazer e organizar o comércio local.

Parque da Orla: maior projeto em andamento. Foto: Divulgação Prefeitura

Transformação da Zona Norte

Embora faça parte da estratégia de desenvolvimento para os próximos anos, a Região Oceânica já vem recebendo melhorias estruturais desde o governo Rodrigo Neves e a abertura do Túnel Charitas-Cafubá. A grande novidade do Plano Plurianual é incluir agora a Zona Norte na rota da transformação urbana depois de mais de uma década de estagnação.

Ao menos uma parte dos projetos para a região já está definida e faz parte dos planos de Axel Grael desde a campanha eleitoral. Ele quer requalificar a Alameda São Boaventura, aos moldes do que foi feito na Marquês de Paraná, com ciclovia, paisagismo, novas calçadas e fiação subterrânea. Outra ação prevista é a implantação do Terminal de Integração do Caramujo, que a Prefeitura já se movimenta internamente para executar.

O último grande projeto urbanístico que contemplou a Zona Norte foi a criação do Corredor viário, inaugurado em 2010, no governo de Jorge Roberto Silveira. Desde então, o Fonseca sofre com a degradação. O terminal do Caramujo é outro projeto antigo que volta à tona com chances reais de virar realidade.

Obras na Alameda São Boaventura: investimentos na Zona Norte. Foto: Divulgação Prefeitura

Pequenas obras nos bairros

O plano de obras também inclui, de forma mais ampla, intervenções em todas as regiões da cidade. Não à toa, a Prefeitura realizou nas últimas semanas uma consulta pública sobre desenvolvimento urbano nos bairros. Entre abril e maio, outra pesquisa já havia sido feita para identificação de demandas da população a longo prazo.

– A Prefeitura tem conversado com os mais diversos setores da sociedade. A ideia é identificar intervenções que atendam demandas dos moradores e sejam capazes de gerar atividade econômica local. A Prefeitura vai identificar estes projetos e viabilizar, mas com a ajuda das entidades comunitárias e empresariais, para que os resultados apareçam – explica o Prefeito.

Nas últimas semanas, a Prefeitura tem trabalhado também na coordenação destes projetos, para que as obras não tenham impacto no trânsito da cidade.

Saneamento e urbanização também entram na pauta de obras. Foto: Divulgação Prefeitura

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email