Niterói por niterói

Publicado

Niterói faz campanha de arrecadação de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade

Secretaria de Fazenda se une à CODIM na campanha de dignidade menstrual; doações podem ser feitas até o dia 5 de novembro
Projeto Tô de Chico promove distribuição de kits de higiene. Foto- divulgação
Projeto Tô de Chico promove distribuição de kits de higiene. Foto: divulgação

A Secretaria Municipal de Fazenda, com o apoio da CODIM (Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres) deu início à campanha de arrecadação de absorventes para pessoas em situação de vulnerabilidade social. O ponto de arrecadação fica no saguão da sede de entrada e aceita doações até o dia 5 de novembro. A ação faz parte da campanha dignidade menstrual, que visa enfrentar a pobreza menstrual em Niterói.

Longe dos olhares das classes média e alta, 4 milhões de jovens e adolescentes deixaram de ir à escola no período menstrual por não terem condições mínimas de adquirir absorvente. Os dados são da Unicef, que aponta que cerca de 29% das mulheres já passaram por dificuldades financeiras para a compra do item.

Em meados de outubro, o A Seguir: Niterói conversou com dois projetos sociais que atuam na distribuição de absorventes para mulheres em situação de rua. Uma dessas mulheres é a Beathriz Cortes, do coletivo de marcas “Bravas”, que promove a arrecadação e distribuição de absorventes, entre outros itens de higiene pessoal para pessoas em situação de vulnerabilidade. O projeto tem como objetivo reverter parte do lucro da venda de roupas para a compra de absorventes para doação. O outro projeto, que também atinge Niterói, é o Tô de Chico, que visa à arrecadação de absorventes, roupas íntimas e outros itens de higiene pessoal para redistribuir para a população em situação de rua.

Fundada há dois anos e meio, a Bravas é totalmente online e tem planos de expandir num futuro bem próximo devido à alta demanda. A ideia é criar um ateliê na Zona Sul do Rio até o fim deste ano. A marca, que já participou de várias feiras como a Lavradio, no Rio, e a de Gragoatá, em Niterói, tem produção própria de camisetas 100% algodão, geralmente confeccionadas por fornecedoras mulheres e normalmente de pequenos produtores. O projeto é todo pautado no consumo consciente e inteligente. Desde que foi criada, a Bravas já distribuiu mais de cinco mil absorventes para mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade.

A Tô de Chico, criada depois de uma conversa despretenciosa entre Talita Soares e Carolina Chiarello, também viu a demanda disparar. Após a negativa do governo federal em assegurar a distribuição de absorventes para meninas em extrema vulnerabilidade, a Tô de Chico está a todo vapor, fazendo o que é possível para suprir a alta demanda, que disparou após o anúncio do presidente Jair Bolsonaro.

– Estamos trabalhando dia e noite para conseguir recolher todas as doações de pessoas que conheceram o projeto e se identificaram com a causa. Em menos de uma semana, ganhamos quase 4 mil seguidores no Instagram. Infelizmente, veio desta forma triste que foi o veto do presidente Jair Bolsonaro. Mas ainda há esperança. Contamos com o Congresso para vetar a decisão do presidente. Higiene menstrual não é luxo. Higiene menstrual deve ser um direito a todas as pessoas que menstruam – afirmou Talita, uma das sócias fundadoras do projeto.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email