Niterói por niterói

Publicado

Niterói aguarda parecer técnico sobre imunização de adolescentes

Prefeitura diz que não tem registros sobre reação adversa à vacina entre pessoas de 12 a 17 anos
Jovem de 18 anos se vacina em policlínica da Prefeitura. Foto- Prefeitura de Niterói
Niterói tem 70% dos adolescentes vacinados. Foto: Divulgação

Depois da portaria do Ministério da Saúde que indicou a suspensão da vacinação de adolescentes sem comorbidades, a Prefeitura de Niterói aguarda os posicionamento da Agência Nacional de Vigiância Sanitária (Anvisa) e de especialistas para definir os próximos passos da campanha. O município já aplicou a primeira dose em 70% da população entre 12 e 17 anos, sem nenhum registro de reação adversa.

Em nota enviada nesta quinta-feira, após coletiva do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a Prefeitura informou que seguiu recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria, da Anvisa e outras instituições para imunizar os adolescentes. A convocação do grupo teminou na semana passada, mas a repescagem se manteve aberta a toda a população acima dos 12 anos.

Agora, a Secretaria Municipal de Saúde informa que “aguarda o posicionamento da Anvisa e o resultado da Reunião da Câmara Técnica de Assessoramento a Imunização- CTAI, solicitada imediatamente pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (Conasems)”.

No começo da noite, a Anvisa emitiu nota mantendo recomendação de vacinar adolescentes.

“Com dados disponíveis até o momento, não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina”, diz a agência.

Horas depois de publicar a portaria sobre a suspensão da vacinação de adolescentes, Queiroga concedeu uma entrevista coletiva que vem sendo duramente criticada por especialistas do país inteiro. Em uma fala considerada errática, o Ministro lançou dúvida sobre a segurança da vacina para pessoas de 12 a 17 anos, trazendo dados vagos sobre reações adversas, que em momento algum foram detalhadas.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email