Niterói por niterói

Publicado

Museu da Umbanda é lançado em site com a história da religião em São Gonçalo e no país

Por Fabiana Batista
Plataforma virtual inaugurada no dia da Consciência Negra (20) tem conteúdos gonçalense sobre religião
“A Medalha”, fotografia feita durante uma Festa de Ogum, Igreja Matriz São Jorge – Quintino Bocaiúva, Zona Norte. Ano de 2018 | Foto: Cleiton M. Maia
“A Medalha”, fotografia feita durante uma Festa de Ogum, Igreja Matriz São Jorge – Quintino Bocaiúva, Zona Norte. Ano de 2018 | Foto: Cleiton M. Maia

No dia da Consciência Negra (20), para encerrar a 1ª Semana da Umbanda de São Gonçalo, foi lançado o site “MuseuUmbanda” (museumbanda.mus.br/). O espaço virtual pretende abordar a história da religião e a luta contra a intolerância religiosa.  

– A proposta é ser um museu vivo, com desenvolvimento de cursos, oficinas de teatro, música, arte, artesanato e, claro, trazer à sociedade de São Gonçalo um novo aparelho virtual, explica o site.

Reprodução home do site museumbanda.mus.br

Durante o lançamento, que aconteceu no Theatro Municipal, estiveram em uma mesa de debate Alexandre Cumino, cientista da religião, diretor da Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo, médium de Umbanda e sacerdote da Umbanda Sagrada; Cláudia Alexandre, jornalista, doutoranda em Ciência da Religião e mestre em Ciência da Religião; Marcelo Fritz, jornalista, produtor cultural e diretor do Prêmio Atabaque de Ouro; e José Beniste, ogã, historiador e pesquisador. A deputada estadual Dani Monteiro e o vereador Romário Régis também se fizeram presentes.

Texto, artes plásticas e fotografia contam a história da Umbanda em SG

 Na home do site o visitante encontra uma explicação sobre o que significa e qual a importância do Patrimônio Histórico e porque a umbanda ganhou o título em São Gonçalo. A cidade é considerada, por pessoas da religião, como o berço da umbanda no estado, uma religião brasileira com elementos de religiões africanas, indígenas e cristãs.

Yabas | Obra de Arte: Philipe Kaoká

No topo da página, estão disponíveis diferentes espaços, que podem ser equiparados como “salas” de um museu físico. Em “Origens das Umbandas”, Cláudia Alexandre e Alexandre Cumino trazem uma reflexão sobre o processo histórico da religião e da espiritualidade no Brasil e rememoram os 113 anos da Umbanda em São Gonçalo.

Já na “sala” Mídias, a proposta é publicar, além de palestras e lives, vídeos autorais. Em “Exposição” há dois hiperlinks: “Exu, caminhos” e “D’Asé”. No primeiro estão expostas fotografias feitas pelo pesquisador Cleiton M. Maia, já no segundo espaço, obras artísticas do artista plástico Philipe Kaoká. 

Vídeo de lançamento do site: https://museumbanda.mus.br/video-de-lancamento/

“Pombas Giras”, fotografia feita durante uma Festa de Maria Farrapo – Centro Espírita Vovó Maria do Rosário – Campo Grade, Zona Oeste. Ano de 2015 | Foto: Cleiton M. Maia

– O “MuseUmbanda” nasce exatamente de um inconformismo de não termos mais um patrimônio histórico, que foi o primeiro centro de Umbanda da história da humanidade, o imóvel que ficava na Rua Floriano Peixoto nº 30 e que serviu de base a anunciação da Umbanda em 1908, diz o site.

Seu Zé | Obra de arte: Philipe Kaoká

 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email