Niterói por niterói

Publicado

Mulher vítima de feminicídio em Niterói tinha solicitado medida protetiva

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Vítima, de 27 anos, foi morta a golpes de arma branca, na Região Oceânica de Niterói, pelo ex-companheiro e pai de dois dos seus três filhos
Letícia e Flávio
Letícia com o agressor e ex-marido Flávio: testemunhas viram quando ele a agrediu e a golpeou. Foto: Reprodução/Redes sociais

Caso clássico de feminicídio vem ganhando novas camadas, após depoimentos de pessoas próximas à vítima. O crime que chocou a população de Niterói é mais um que compõe uma série de eventos trágicos que têm acometido as mulheres. Letícia Dias Santana, de 27 anos, foi morta a golpes de arma branca, na Região Oceânica da cidade, na última terça-feira (26), após terminar seu relacionamento com Flávio Fonseca, de 36 anos, seu ex-companheiro. Em depoimento ao G1, a sobrinha da vítima, Khayane Fernandes, de 18 anos, relatou que as brigas entre os dois eram constantes. E durante as discussões, Flávio batia em Letícia que, há dois meses, decidiu se separar. Para fugir de vez do ex-companheiro violento, ela pediu uma medida protetiva e se mudou de Piratininga para Itaipu.

A jovem relata ainda que Flávio foi atrás de Letícia no novo endereço com a desculpa de ver os dois filhos do casal, mas sempre arrumava briga durante as visitas. A última briga resultou na morte de Letícia. Khayane também disse que Flávio não se intimidava com as denúncias de violência na delegacia, nem com a medida protetiva. Ele, inclusive, conseguiu a guarda dos dois filhos, de 3 e 5 anos, alegando que Letícia batia nas crianças. Letícia era mãe ainda de um menino de 10 anos, fruto de um relacionamento anterior, e que está com um tio paterno. Segundo ela, as crianças ainda não sabem do que houve com a mãe. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) segue na investigação do caso e realiza buscas para encontrar o autor do crime.

Relembre o caso

Até o momento as investigações apontam o relacionamento conturbado que o casal tinha. Ambos têm muitos registros na delegacia por ameaça, lesão corporal simples e brigas familiares.

Ao longo da semana a delegacia vai realizar mais diligências e ouvir testemunhas, entre elas, um casal que estaria na associação de moradores e teria presenciado a  ‘confusão’. A delegacia também está em busca de imagens de câmeras de segurança para ajudar na investigação do crime.

Casos de feminicídio têm aumento

Também na terça-feira (26), Sarah Pereira, de 24 anos, foi morta a tiros pelo ex-companheiro. Ele invadiu a casa da ex, no Centro do Rio, e matou a mulher com 16 tiros. Queven da Silva e Silva, que tem 47 passagens na polícia, foi preso na sequência e confessou o crime.

Em junho do ano passado, uma mulher, de 22 anos, morreu após ser esfaqueada dentro do Plaza Shopping, no Centro de Niterói. Ela foi esfaqueada por Matheus dos Santos da Silva, de 21 anos. O rapaz foi preso em flagrante e levado para a 76ªDP. A polícia informou que a perícia foi realizada no local. Os dois eram amigos de classe em um curso técnico de enfermagem, segundo a polícia. Matheus comprou a faca no shopping minutos antes de cometer o crime, de acordo com a investigação.

A polícia informou ainda que, segundo amigos da vítima, Matheus “nutria um amor não correspondido” por Vitórya. Ele atacou a jovem na praça de alimentação do shopping, onde ela trabalhava em uma cafeteria.

Leia mais: Niterói aplica 4ª dose da vacina contra a Covid em pessoas acima de 30 anos

COMPARTILHE