Niterói por niterói

Publicado

Moradores de Niterói reclamam de nova infestação do ‘mosquito preto’

Especialista diz que temperatura mais amena pode ter relação com o reaparecimento dos insetos , que são inofensivos
Infestação de mosquito em Niterói : Foto- Felipe Antunes
Infestação de mosquito em Niterói / Foto: Felipe Antunes

Uma nova infestação de um inseto, de que pouco se tem conhecimento, tem irritado os moradores de Niterói. O assunto tomou conta das redes sociais na noite desta quinta-feira (15), quando usuários compartilharam o reaparecimento dos “mosquitos pretos”. Eles costumam aparecer em bandos e são maiores do que o mosquito convencional. Especialista da UFF, médico veterinário, Flavio Moutinho explica que os insetos pertencem à família Sciaridae. Ele afirma que existe mais de uma espécie, mas para identificar, é preciso analisar de perto. São inofensivos e a aparição em grande quantidade pode estar relacionada à mudança climática.

– Esse é um dos grupos de insetos menos pesquisados e conhecidos. Há muitas lacunas de conhecimento sobre eles. Eles têm importância na produção agrícola e de fungos, como praga. Os adultos nascem quase sempre na mesma época e acredita-se que tendam a fazer essa revoada como estratégia de sobrevivência – pontuou.

O especialista explica que as revoadas, ou seja, grandes quantidades de insetos que voam em conjunto, já ocorreram em cidades como Manaus e Sabará. Não se sabe ao certo o motivo dessa aparição em Niterói, mas pode estar relacionada com fatores climáticos ou redução da quantidade de predadores, por exemplo.

Moradora do Cafubá, a bacharel em direito Luciana Martins conta que sempre conviveu com a presença de mosquitos em casa, mas os insetos dessa espécie começaram a aparecer quando a estação mudou. Ela diz que, para controlar a grande infestação, costuma utilizar o repelente natural, mas ainda assim, eles aparecem em grande quantidade, principalmente à noite. Como mora na beira da Lagoa de Piratininga, pensou que pudesse ter relação com as obras do Parque Orla.

Foto de leitor

Os relatos da infestação do inseto são de variados bairros: Itaipu, Piratininga, Santa Rosa, Cubango, Fonseca, Icaraí, Centro. Não tem para onde fugir. Moradora do Cubango, Maria Altamir diz que há três dias os ‘mosquitinhos’ começaram a aparecer na sua casa, que raramente tem inseto.

– Da última vez que teve essa infestação eu vi apenas um no meu quarto. Agora, apareceu um monte e nunca tinha. Eu acho que está mais intenso. Deve ter a ver com o clima – destacou.

O especialista da UFF explica que não há uma maneira de controle. O que ocorre é que, os que porventura caem em uma bacia com água, por exemplo, podem não conseguir sair e acabam morrendo. Uma forma de evitá-los seria por meio da aplicação de telas nas janelas. Como nem todos podem ter, uma saída seria deixar os cômodos da casa com pouca luz acesa, já que os insetos são atraídos pela luz.

Foto: Luciana Martins

Moradora de Niterói, que preferiu não se identificar, já está ciente de como os insetos costumam se comportar e tenta amenizar a situação da forma que pode: “Eles são atraídos pela luz, então eu apago as lâmpadas por um tempo. Não picam, mas são chatos”, explicou.

“Eles estão por toda parte, moro no Centro. Acho que tem uma nuvem deles pairando sobre Niterói”, falou outra. E há aqueles que se consolam quando se dão conta de que os insetos têm aparecido em diversos bairros:

– Eu pensava que isso só acontecia aqui em casa. Todo dia aparece um monte e não tem nada que atraia eles, tipo comida ou sujeira. Já se foram duas latas de inseticida e mata mosca – contou.

Insetos não trazem risco à saúde

O especialista da UFF explica que os “mosquitos pretos”, nomenclatura dada pela população, em função de sua morfologia e cor, não são considerados mosquitos, pois não picam pessoas e animais e não trazem risco à saúde. Apesar do inverno, a mudança de temperatura pode provocar a aparição dos insetos, da família Sciaridae, em larga escala. Quando chegam à fase adulta, costumam viver por cinco dias.

– A fase adulta deles é muito pequena e eles precisam se reproduzir rapidamente para perpetuar a espécie. Quando ocorrem condições favoráveis de clima, como aumento de temperatura, o ciclo reprodutivo se acelera, podendo levar a esse aparecimento repentino dos adultos. Isso pode ocorrer, também, pelo aumento da disponibilidade de alimentos que eles consomem, como fungos, plantas. Inclusive, eles podem se tornar um problema para produtores de fungos comestíveis, por exemplo.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email