Niterói por niterói

Publicado

Moradores de Niterói não conseguem se livrar das dívidas, que chegam a R$ 927 milhões

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Especialista acredita que auxílio do governo ajudou algumas pessoas a saldarem suas dívidas; mas quem não conseguiu pagar, hoje, deve mais
quinta-niterói-CDL
Feirão Quita Niterói, da CDL. Foto: Divulgação

Dívidas de moradores de Niterói aumentam e chegam a para R$ 927.966.704, em setembro, contra R$ 924.260.217,91, em julho, de acordo com dados do Serasa. O serviço de proteção ao crédito mostra que, neste período, 1.512 pessoas saíram da lista de inadimplência. Mas o número ainda é alto: no último relatório, a cidade somava 189 mil devedores; mais de um terço da população da cidade.

Segundo o diretor da faculdade de Economia da UFF, Ruy Santacruz, o fluxo de entrada e saída de pessoas no endividamento é comum, entretanto, desta vez, quem não conseguiu sair aumentou seu “estoque” de dívidas.

Santacruz acredita que aqueles que aumentaram o valor do que devem são pessoas que não conseguiram o auxílio emergencial e viram a renda diminuir durante a pandemia porque ficaram desempregadas. Por outro lado, a queda no número de inadimplentes se dá porque parte aproveitou a soma dos auxílios emergenciais federal e municipal para quitar dívidas antigas.

– A soma dos auxílios fez com que pessoas de baixa renda tivessem, mesmo desempregadas, renda que nunca tiveram. Com isso, utilizaram esse dinheiro para diminuir o endividamento por medo do futuro depois da pandemia.

Já a alta no valor total, explica o economista, é resultado do aumento de dívidas das pessoas que não conseguiram quitá-las por completo e tiveram a renda diminuída e/ou perdeu o emprego. Sem saída, estes precisaram recorrer a mais dívidas e, para isso, utilizaram o parcelamento do cartão de crédito para gastos emergenciais.

Niterói, RJ

Número de inadimplentes

187.448 moradores

Valor Médio das dívidas, por pessoa

R$ 4.054

Valor total dívidas

R$ 927.966.704

Fonte: Serasa – Setembro/2021

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email