Niterói por niterói

Publicado

MEIs de Niterói em vulnerabilidade podem migrar para outros programas

Trabalhadores inscritos no CadÚnico ou que tiverem filhos matriculados na rede municipal podem continuar recebendo auxílio
Secretária Ellen Benedetti e Prefeito Axel Grael. Foto- Reprodução
Secretária Ellen Benedetti e Prefeito Axel Grael. Foto: Reprodução

Microempreendedores Individuais que perderam o auxílio da Prefeitura de Niterói podem migrar para outros programas sociais, desde que atendam aos requisitos. De acordo com a Prefeitura de Niterói, os MEIs que forem inscritos no CadÚnico ou tiverem filhos matriculados em escolas da rede municipal podem continuar recebendo benefícios.

— Foram 16 meses contínuos de apoio às famílias mais vulneráveis e categorias mais afetadas pelo momento da pandemia. — afirmou Ellen Benedetti, Secretária de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão durante transmissão do gabinete de crise. — Com o momento de retomada econômica, a Prefeitura ainda tenta proteger as famílias mais vulneráveis. — Os microeempreendedores individuais que tenham perfil de vunerabilidade

Na mesma ocasião, o Prefeito de Niterói, Axel Grael, lembrou dos esforços do município para garantir algum tipo de ajuda à população durante a pandemia.

— O atendimento à Saúde nesse período já custou à Prefeitura de Niterói mais de R$ 1 bilhão até julho deste ano. Isso numa cidade que tem orçamento anual de R$ 3,5 bilhões. Para vocês verem quanto esforço Niterói está fazendo para apoiar a todos nesse momento difícil — afirmou Axel Grael.

MEIs ficaram de fora da renovação

Depois de ficarem de fora da renovação dos auxílios pagos pela Prefeitura de Niterói, os Microempreendedores Individuais iniciaram uma campanha, principalmente nas redes sociais, para reivindicar a continuidade da ajuda. Principalmente porque eles acreditaram que haviam sido incluídos na prorrogação do benefício.

Na live do dia 5 de agosto, Ellen Benedetti chegou a anunciar que o Renda Básica Emergencial seria estendido para agosto e setembro. Ao citar o calendário de pagamentos de agosto, a Secretária incluiu os Microempreendedores Individuais (MEIs). Mas a categoria não havia sido incluída na lei de prorrogação aprovada pela Câmara e a Prefeitura alegou que a Secretária havia se equivocado. Os MEIs só descobriram que ficaram de fora porque os cartões não foram carregados na data informada.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email