Niterói por niterói

Publicado

Maioria dos médicos brasileiros diz que fake news atrapalham o combate à pandemia de Covid

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Estudo inédito com profissionais de saúde apontou também que quase 90% deles foram infectados nos últimos dois meses
hospitais
Além do vírus ameaçador, profissionais de saúde também têm de enfrentar a praga das fake news

A mesma pesquisa da Associação Médica Brasileira (AMB), em parceria com a Associação Paulista de Medicina (APM), que mostrou que  87,3% dos médicos brasileiros foram infectados pela Ômicron nos dois últimos meses apontou ainda que a maioria deles não apenas sofre mas também condena as fake news. Notícias falsas sobre a Covid-19 e as vacinas acabam tendo resultados desastrosos para a população e ajudam a sobrecarregar os profissionais de saúde nos hospitais.

Pelo levantamento inédito, a maioria dos médicos acha que a circulação de fake news e informações sem comprovação técnica interfere no enfrentamento da Covid-19 no Brasil.

Dos 3.517 médicos ouvidos na pesquisa, 57,2% disseram que as fake news interferem negativamente no combate à pandemia “pois levam algumas pessoas a minimizar (ou negar) o problema.”  Já 55,1% afirmaram que  as notícias falsas interferem negativamente porque “desacreditam a ciência e dificultam a aceitação das decisões dos profissionais da Saúde.”

A pergunta sobre fake news admitia múltiplas respostas, por isso a soma das questões passa de 100%.

– Muita notícia negativa e mal intencionada foi feita circular em torno disso. Ainda há muitas pessoas dizendo que as crianças têm um risco menor de terem doença grave. De vez em quando as pessoas fazem circular eventos adversos (da vacina em crianças) e isso nas redes sociais tem um efeito assustador – disse José Luiz Amaral, membro da Associação Paulista de Medicina.

Ainda na mesma pergunta sobre os danos das fake news sobre a pandemia, 37,7% dos médicos disseram que elas iterferem negativamente “pois alguns pacientes/familiares pressionam por
tratamentos sem comprovação científica”.

Apenas 13,7% dos entrevistados  disseram acreditar que as fake news não interferem no enfrentamento da pandemia de Covid.

COMPARTILHE