Niterói por niterói

Publicado

Floricultura do Estado do Rio de Janeiro movimentou R$ 525 milhões em 2022

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com

COMPARTILHE

O estado conta com mais de 900 produtores atuando no segmento e é o segundo no ranking na produção de flores de corte no país
florescer (3)
Flores produzidas na cidade serrana de Nova Friburgo. Fotos: Governo do Estado do Rio de Janeiro

Rosas são as flores campeãs de venda, no Rio de Janeiro. O estado conta com mais de 900 produtores atuando na floricultura. O estado ocupa a segunda posição no ranking na produção de flores de corte no país.  Com uma produção diversa, abrange vários segmentos da atividade como: flores de corte, folhagens, planta forração, plantas de paisagismo, plantas de jardim e grama. O setor movimentou cerca de R$ 525 milhões, somente no ano de 2022.

Leia mais: Niterói está vulnerável à elevação do nível do mar, com aquecimento global, diz a UFF

A Região Serrana por seus aspectos climáticos, geográficos e por questões de altitude, possui a região mais adequada ao desenvolvimento dessa cultura, sendo destaque na produção de flores. Nova Friburgo é o maior produtor de flores e o município de Bom Jardim se destaca no cultivo de rosas.

– Com o objetivo de fortalecer o setor, a Secretaria de Agricultura atua fortemente em parceria com o produtor rural, oferece incentivos por meio de programas da pasta. O Programa Florescer disponibiliza até R$ 100 mil por produtor, com juros de 2% ao ano. Essa linha de crédito dá a possibilidade do produtor investir em melhorias e assim alavancar sua produção – ressalta o secretário de Agricultura, Dr Flávio.

Com o aumento da temperatura a oferta de flores aumenta. As flores campeãs de vendas são as rosas, seguidas de crisântemos, astromélias, gérberas, lírios, lisiantos e as flores chamadas secundárias: tangos, gipsofila e áster mariana.

– Vale destacar o grande investimento que o Governo oferece para o Programa Florescer. Contribuindo diretamente para a modernização das estruturas de produção com estufas mais modernas, sistemas de irrigação e câmaras frias para tratamento na pós colheita. Isso garante uma maior qualidade nas flores para o mercado – explica Nazaré Dias, gerente do Agrofundo Florescer.

As floriculturas, por sua vez, acompanham as tendências do mercado. Os produtores vão ajustando sua produção para se tornar cada vez mais competitivos, e atender as necessidades do comércio de decoração que é muito dinâmico. O floricultor de hoje está mais preocupado em oferecer um produto de qualidade para o consumidor, prezam por um produto mais durável. Para isso, o tratamento diferenciado na colheita e pós colheita se faz necessário.

Neste momento, o cenário está bem positivo para a floricultura fluminense que tem voltado a sua normalidade tanto na estrutura de cultivo como nos novos cultivares, aumentando a diversificação da produção. A área de plantio de flores é de cerca de 1523 hectares cultivados com destaque para as Regiões Serrana, Metropolitana e Sul.

O Produtor Ronaldo Klein de Vargem Alta, em Friburgo, atua no ramo da floricultura há mais de 10 anos e está bem otimista com a chegada da primavera.  Ele cultiva em seu sítio várias culturas, dentre elas: boca de leão, áster mariana, girassol, lisiantos, margarida rainha. O Programa Florescer o ajudou na expansão de seus negócios

– Nos últimos anos a gente tem crescido muito, depois da pandemia de 2021 para cá, conseguimos dobrar nossa área produtiva. E o Florescer me ajudou demais na expansão dos nossos negócios. Graças a este empréstimo, pude investir em novas estufas, novas áreas de terra, com isso nossos produtos ganharam mais qualidade e na quantidade de produção – afirmou Ronaldo.

Para solicitar a linha de crédito do Programa Florescer, entre em contato com os escritórios locais da Emater-Rio ou através do e-mail: agrofundo.rio@gmail.com.

COMPARTILHE