Niterói por niterói

Publicado

Estado do Rio registra as primeiras mortes pela variante Delta da Covid

Secretaria Estadual de Saúde informou que quatro pessoas morreram por complicações da mutação indiana do vírus; nenhuma em Niterói
niterói-antecipa-calendário-e-vacina-pessoas-acima-de-18-anos-até-23-de-agosto
Vacina é a melhor proteção contra coronavírus e suas variantes

A Secretaria de Estado de Saúde confirmou a morte de quatro pessoas no Rio de Janeiro por complicações provocadas pela variante Delta do coronavírus. As mortes aconteceram nas duas últimas semanas em São João do Meriti (2) e Duque de Caxias. O domicílio de um dos mortos continua sendo investigado.

Na semana passada, a Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde informou o resultado da análise de 380 amostras colhidas no estado: 78% eram da variante P.1 (Gama/Brasil) e cerca de 16% da variante B1.617.2 (Delta). O estudo confirmou a circulação da variante Delta no estado do Rio de Janeiro, entre outras cidades, em Niterói..

Nesta quinta-feira (20), as equipes de vigilância sanitária dos municípios identificaram quatro casos de óbitos por Covid-19 entre os pacientes que foram confirmados com a variante Delta. Os casos ocorreram em:

– 04/07, uma mulher de 73 anos, moradora de São João de Meriti;
– 05/07, um homem de 50 anos, morador de Duque de Caxias;
– 10/07, uma mulher de 43 anos, moradora de São João de Meriti;
– 14/07, um homem de 53 anos, município de moradia em investigação.

A SES ressalta que vem monitorando o cenário epidemiológico no estado, como número de atendimentos em UPAs, taxa de ocupação de leitos e resultado de testes para confirmação da Covid-19. O sequenciamento do coronavírus não é um exame de rotina nem de diagnóstico, é feito como vigilância genômica, para identificar modificações sofridas pelo vírus SARS-CoV-2 no estado e embasar políticas sanitárias.

A SES ressalta que, independentemente da cepa do vírus ou linhagem, as medidas de prevenção e métodos de diagnóstico e tratamento da Covid-19 seguem os mesmos, como uso de máscaras e álcool em gel, lavagem das mãos e distanciamento social. A quarentena de 14 dias é fundamental para qualquer pessoa com sintomas e/ou diagnóstico da doença, qualquer que seja a variante. Além disso, é importante que os municípios continuem avançando no processo de vacinação contra a Covid-19. Estudos mostram que as vacinas hoje disponíveis no Brasil são eficazes contra a variante Delta, principalmente quando há a aplicação das duas doses do esquema vacinal.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email