Niterói por niterói

Publicado

Em ação de fiscalização, Procon-RJ encontrou aumento de até 108% em teste de Covid

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Foram vistoriados 19 estabelecimentos nos municípios do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Niterói e Maricá.
Procon-RJ fiscaliza laboratórios e farmácias (1)
O Procon investiga possível aumento de preço abusivo para testes de Covid em farmácias e laboratórios. Foto: Ascom Procon-RJ

O Procon Estadual do Rio de Janeiro vistoriou, nesta quarta-feira (19) 19 estabelecimentos, entre farmácias e laboratórios, nos municípios do Rio de Janeiro, São Gonçalo, Niterói e Maricá. Os fiscais investigavam possível aumento abusivo de preços dos testes de Covid e Influenza em virtude do crescimento da demanda gerada pela elevação do contágio provocada pela Ômicron.

Durante a ação, os fiscais identificaram aumento de até 108% no teste de detecção de Covid em um laboratório drive-thru, no Shopping Downtown (RJ). O teste PCR que custava R$230,00, a partir de 15 de janeiro, passou para R$480,00. Já o teste nasal, de R$150,00 aumentou para R$220,00.

De acordo com o Procon, a elevação de preços identificada em farmácias foi menor. Um estabelecimento situado no Recreio dos Bandeirantes (RJ) cobrava R$89,00 pelo teste nasal para detecção de Covid e reajustou o preço para R$109.00.

Na vistoria, foram identificadas duas farmácias que não possuíam farmacêuticos responsáveis técnicos e dois laboratórios que também não tinham responsáveis técnicos, no momento em que aconteceu a fiscalização.

Publicidade que pode induzir o consumidor em erro, preço na gôndola diferente do que é cobrado no caixa e ausência de valor em determinados produtos foram outras irregularidades encontradas, em farmácias.

Durante a vistoria, os fiscais também questionaram se os prazos para a entrega dos resultados estão sendo cumpridos, de acordo com a data fornecida para o consumidor, na hora da realização do teste.

Os estabelecimentos foram solicitados a apresentar, em dez dias, a comprovação documental dos preços praticados desde outubro de 2021, até o momento. Caso a farmácia ou laboratório tenha elevado o valor e não consiga justificar o reajuste, sofrerá punição.

Foram vistoriadas, nessa operação, unidades das drogarias Venâncio, Raia, Pacheco, Tamoio, Farma Hall, Farmelhor, Preço Popular e Pague Menos, e unidades dos laboratórios Villela Pedras, Alta Excelência e Infinity Care.

 

COMPARTILHE