Niterói por niterói

Publicado

‘É um choro de missão cumprida’, diz técnica de Martine e Kahena

Em depoimento ao A Seguir: Niterói, técnica da dupla, Martha Rocha, diz que o bicampeonato é um sentimento de orgulho e admiração muito forte
Da esquerda para direita- a técnica Martha Rocha, Martine e Kahena : Foto- Instagram
Da esquerda para direita: a técnica Martha Rocha, Martine e Kahena / Foto: Instagram

A velejadora Martine Grael e sua dupla, Kahena Kunze, escreveram o nome na história do esporte ao conquistar o segundo ouro olímpico seguido em pela classe 49er FX da vela na madrugada desta terça (3), feito que nenhum outro velejador brasileiro conseguiu nas Olimpíadas. Técnica da dupla, Martha Rocha não conseguir conter as lágrimas ao falar da conquista do ouro. O orgulho da trajetória das atletas, que acompanha desde quando eram novinhas, transborda. Em depoimento emocionado, Martha falou com o A Seguir, praticamente virada na manhã desta quarta-feira:

– Que momento emocionante que estamos vivendo! Como eu conheço elas há muito tempo, é ainda mais especial. Conheço Martine e Kahena desde quando elas eram pequeninas, trabalhamos juntas na classe jovem. É um sentimento de orgulho e admiração muito forte. Eu acompanhei a última regata já muito emocionada, desde o início, quando elas conseguiram depois da largada velejar sozinhas, soltas… Eu já tinha convicção a partir dali que seria muito bom. Comecei a me derramar em lágrimas antes mesmo da regata chegar ao fim. É um choro de emoção, de felicidade, de missão cumprida – contou.

Foram cinco anos muito árduos e de muito preparo, desde a última conquista nas Olimpíadas do Rio, em 2016. A pressão do ouro, de quem se vê pela primeira vez como favorita ao título, foi um desafio na medal race, mas a dupla tirou de letra.

– Estou recebendo muitas mensagens de carinho de amigos. E, no final das contas, isso é o que mais vale, né? Eu tenho muita admiração por todas as mulheres que enxergam no esporte um meio de tentar tornar o mundo mais igual. E a Martine e a Kahena representam isso. Elas são inspiração e esperança para todos nós – completou.

Martine e Kahena, na medal race da madrugada desta terça, em Tóquio / Foto: Reprodução Instagram

Martha conta que faz parte de um grupo só das mulheres da Vela, cuja proposta é dar força e espaço para outras mulheres do esporte. Todas as disputas das regatas foram assistidas por vídeo, na plataforma Zoom. “Dividi até minha tela com as que não tinham imagem. Foi muito especial!”, conta. A emoção foi tamanha, que Martha ficou com a voz embargada ao falar com as atletas ao telefone, logo após a conquista.

– A voz estava embargada. Não saíam as palavras. Eu só chorava. Não consegui falar o que queria dizer para elas. Eu que tenho tanto a dizer, naquele momento, não consegui conter a emoção de tanta admiração. Estou ansiosa para encontrá-las e dar um grande abraço. Hoje descansaremos, porém amanhã já teremos novas metas. É um lema da equipe. Mas falar de Paris ainda é cedo – disse.

Martine e Kahena celebrando mais um ouro olímpico / Foto: Reprodução Instagram

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email