Niterói por niterói

Publicado

Concessionária alerta para aumento de trânsito de motos e acidentes na Ponte Rio-Niterói

Por Redação
| aseguirniteroi@gmail.com
Motocicletas representam 6% do movimento da ponte mas estão envolvidas em 25% dos acidentes
IMG_4944
Ecoponte promove ação educativa com motociclistas na saída da ponte. Foto: Divulgação Ecoponte

O aumento do trânsito de motocicletas na Ponte Rio-Niterói acende um sinal de alerta para a segurança do transporte: as motocicletas já respondem por 6,23% do fluxo na rodovia, mas estão envolvidas em 24,53% dos acidentes registrados desde o início da concessão, em 2015 até abril de 2022. Ou seja, estão mais vulneráveis que outros veículos e na maioria das vezes com vítimas – moderadas (57%) e graves (53%).

Os dados são da concessionária Ecoponte, que realizou na última quinta-feira (19/05), uma ação blitz educativa, para orientar os motociclistas sobre segurança no trânsito, numa parceria com o Detran-RJ, a Polícia Rodoviária Federal e a Prefeitura de Niterói.  Os condutores foram abordados após a praça de pedágio da Ponte Rio-Niterói para receber mensagens educativas e participar da ação que faz parte do programa Maio Amarelo, de segurança no trânsito.

De acordo com o Diretor-Superintendente da Ecoponte, Matheus Fernandes, os acidentes acontecem na maioria das vezes por falta de atenção ou imprudências, e resultam em colisões traseiras, quedas de moto e colisões laterais. “Atitudes simples como usar os equipamentos de proteção, não trafegar acima da velocidade e estar atento à sinalização da via, podem evitar essas ocorrências”, alerta.

Na ação, a equipe de educação do Detran usou um óculos de realidade aumentada que simula efeitos de embriaguez e drogas, para alertar os motociclistas. O Diretor do Detran RJ, Adolfo Konder, alertou que “a segurança no trânsito precisa ser assunto nas salas de aula, nas reuniões de família, dentro das empresas. Precisa mobilizar toda a sociedade. Um dia somos os condutores dos veículos, somos motociclistas. No outro, estamos nas ruas como pedestres, ciclistas. A mesma pessoa que age com irresponsabilidade ao volante pode sofrer violência no trânsito também”.

 

COMPARTILHE