Niterói por niterói

Publicado

Comércio de Niterói prevê aumento de 25% nas vendas de Dia dos Pais

Maioria aposta nas roupas, perfumes e calçados como melhor presente para a data
Dia dos Pais deve influenciar positivamente na economia na cidade. Foto- Arquivo
Dia dos Pais deve influenciar positivamente na economia na cidade. Foto: Arquivo

O comércio de Niterói tem boas expectativas econômicas para a semana de Dia dos Pais. É o que diz uma pesquisa feita pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), que aponta para um aumento do fluxo de vendas: 73% dos entrevistados disseram pretender comprar presentes em comemoração ao Dia dos Pais, gastando em torno de R$ 200 na média.

De acordo com a pesquisa da CDL, 58% dos entrevistados disseram que vão atrás de roupas como presente para os pais, 32% pretendem dar algum perfume, e 15% vão presentar os pais com calçados. Mas é provável que muitos recebam mais de um presente, pois a estimativa é que os consumidores comprem na média 1,9 itens.

Diferentemente da maioria dos entrevistados pela CDL, o fotógrafo Vitor Freitas quer dar uma cachaça artesanal para o pai. Ele vai dar dois presentes em um, pois o pai faz aniversário no mês de agosto e ele vai aproveitar as duas datas. No entanto, o valor separado para o agrado está dentro das estimativas avaliadas pela Câmara de Diligentes Lojistas, cerca de R$ 150, que ele prefere pagar à vista:

– Ano passado, já dei uma camisa do time dele. Este ano quis dar algo diferente que ele goste, e como eu tenho o dinheiro, vou pagar logo. Não gosto de fazer muita parcela, se eu tenho, compro; se não tenho, não compro.

O fotógrafo Vítor Freitas vai usar o dinheiro que tem para o presente do pai.
Foto: Vítor Freitas.

Essa deve mesmo ser a forma de pagamento mais utilizada pelos filhos, netos e genros (83%), principalmente por meio de dinheiro (37%), cartão de débito (27%) ou usando a novidade já muito bem aceita pelo consumidor, o PIX (22%). Quem optar pela compra no crédito (36%) pretende fazer parcelas pequenas, de até quatro prestações.

Quem também vai evitar a parcela é a jornalista Paula Lagôas, que vai dividir o presente do pai com o irmão e a mãe. O sortudo vai ganhar uma assistente virtual, algo que ele já queria há algum tempo. Paula fala que dividir o valor entre os três foi a forma de viabilizar o objeto de desejo, que custou cerca de R$ 300 (cerca de R$ 100 para cada um). Confirmando a estimativa da pesquisa, a forma de pagamento também foi à vista:

– Era algo que ele queria já há muito tempo, e foi a forma que a gente encontrou de proporcionar isso pra ele.

A jornalista se juntou com a mãe e o irmão para dividir o preço do presente de dia dos pais. Foto: Amanda Ares.

A cautela para evitar novas dívidas a longo prazo reflete o ainda ruim cenário econômico: 86% dos entrevistados citaram haver influência da pandemia na decisão do preço, forma de pagamento e tipo de presente. Desse modo, 40% deles querem economizar, 25% estão com o orçamento apertado, 23% citam as incertezas do cenário econômico e 20% estão desempregados.

Mesmo assim, o CDL espera que o Dia dos Pais deste ano deva gerar um aumento de 25% na movimentação financeira para o comércio, em comparação com o mesmo período de 2020. Assim, o lojista aguarda um excelente dia de trabalho com aumento no volume de vendas, considerando já o processo gradativo de retomada econômica.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email