Niterói por niterói

Publicado

CCR não pretende renovar concessão das barcas: ‘Em hipótese nenhuma’

Por Livia Figueiredo
Empresa critica o governo estadual e afirma que não participará da nova licitação, prevista para 2022
Objetivo da Frente Parlamentar é garantir a qualidade do serviço e o interesse público. Foto- divulgação
CCR Barcas. Foto: Reprodução

A CCR Barcas afastou qualquer possibilidade de manter a gestão do sistema aquaviário da Baía de Guanabara e deixou claro que não tem interesse em participar da nova licitação que está sendo planejada pelo governo estadual e que foi antecipada pelo A Seguir: Niterói no começo de outubro. Em nota, a concessionária subiu o tom contra o Executivo estadual e se disse preocupada com assunto, que não estaria sendo tratado com a devida importância.

No texto, a CCR reitera que vai cumprir o contrato, vigente até fevereiro de 2023, mas critica o fato de o edital anunciado para 2022 ainda não estar pronto e lembra que será ano eleitoral.

“Em hipótese nenhuma, a Concessionária continuará com a prestação do serviço após o prazo final da concessão (11/02/23). Importante enfatizar também que a CCR não participará da relicitação e vê com preocupação para a continuidade do transporte aquaviário o fato de o novo edital ainda não estar pronto, uma vez que 2022 é ano de eleições para governador e para deputado estadual. A Concessionária entende que o assunto não tem sido tratado com a devida importância”, diz a nota da empresa.

A negativa da CCR em participar do novo processo licitatório vem no mesmo dia em que a Secretaria Estadual de Transportes publica o plano de retomada das operações de Charitas e a redução do intervalo entre viagens das barcas. Para isso, o governo pretende reformular o sistema aquaviário, e prefeituras podem ter que subsidiar o serviço. Em conversa com o A Seguir: Niterói, a Subsecretária de Mobilidade e Integração Modal, da Secretaria de Transportes, Paula Azem, afirmou que o modelo atual é inviável e precisa ser alterado.

A Secretaria de Estado de Transportes informou que já trabalha na contratação dos estudos de modelagem de uma nova licitação para o serviço das barcas, mas ainda não explicou em que fase está o processo. Antes de qualquer definição, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) planeja discutir o tema. Presidente da Frente Parlamentar de Defesa do Transporte Aquaviário, o deputado Flávio Serafini (PSOL) marcou para a próxima quarta-feira, 27 de outubro, uma audiência pública para tratar do futuro do transporte. Com a negativa da CCR Barcas na participação no novo modelo de concessão, o deputado teme pela descontinuidade da operação das barcas.

Reabertura da estação de Charitas

Enquanto isso, o catamarã de Charitas já tem data para voltar a operar. Fechado desde março de 2020, o Governo do Estado definiu o retorno das atividades para 4 de dezembro. Já a linha Praça XV – Arariboia retorna aos horários pré-pandemia em 20 de novembro. Essa determinação integra o plano de retorno do serviço aquaviário, como parte do restabelecimento do transporte coletivo intermunicipal, publicado nesta quarta-feira (20), no Diário Oficial.

Pelo planejamento da Secretaria Estadual de Transportes, o retorno da linha Charitas – Praça XV será gradual, começando em 45 dias. Na primeira fase, estão previstas oito travessias por dia no sentido Rio e nove no sentido Niterói. A partir de 10 de janeiro, a grade de horários anterior à pandemia também será retomada.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email