Niterói por niterói

Publicado

Bicampeonato olímpico é feito inédito na vela no Brasil

Martine Grael e Kahena Kunze são as primeiras a conquistar medalhas de ouro em duas Olimpíadas seguidas na vela
Martine Grael e Kahena Kunze são as primeiras a conquistar medalhas de ouro em duas Olimpíadas seguidas na vela

Martine Grael e Kahena Kunze se tornam os primeiros atletas do Brasil, entre homens e mulheres, a conquistar duas medalhas de ouro na vela em Olimpíadas seguidas.

Torben/Marcelo Ferreira, na classe Star, e Robert Scheidt, na Laser, venceram em 1996 e 2004, mas não conseguiram um bicampeonato seguido. Na Regata da Medalha, a última regata disputada, na madrugada desta terça-feira (3) elas ficaram em terceiro lugar, mas à frente das rivais diretas pelo título, as alemãs Tina Lutz e Susann Beucke, que ficaram com a prata, e as holandesas Annemiek Bekkering e Anette Duetz, medalha de bronze.

– Ainda não caiu a ficha. Está difícil de acreditar. Foi uma semana muito difícil de velejar, disse Martine Grael, ainda no barco.

Kahena Kunze lembrou da dificuldade na caminhada até o bicampeonato olímpico, principalmente após as regatas iniciais:

– Foi um campeonato de recuperação. No primeiro dia, aconteceram coisas e parecia que o ouro estava longe.

As brasileiras adotaram uma estratégia ousada, optando por uma direção diferente das adversárias. E se mantiveram sempre à frente dos barcos que disputavam diretamente a medalha de ouro, os barcos da Holanda e da Alemanha. As argentinas venceram a regata, seguidas das norueguesas. As brasileiras passaram em terceiro lugar e comemoram a medalha de ouro.

O resultado representa o oitavo ouro da vela na história das Olimpíadas para o Brasil, mantendo a modalidade como a mais dourada do país. Além dos oito ouros, são três pratas e oito bronzes, com 19 no total.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email