Niterói por niterói

Publicado

Acadêmicos do Cubango empolga o público no primeiro dia de desfiles no Sambódromo do Rio

Por Sônia Apolinário
| aseguirniteroi@gmail.com
Também desfilaram a niteroiense Acadêmicos do Sossego e a Porto da Pedra, de São Gonçalo
cubango 22 corte
O desfile da Cubango só não foi perfeito porque as luzes dos carros falharam . Fotos: Renata Oliveira

Duas escolas de Niterói e uma de São Gonçalo, integrantes da série Ouro do Carnaval do Rio de Janeiro, participaram do primeiro dia de desfiles no Sambódromo, que começou na noite de quarta-feira (20) e terminou na manhã desta quinta, 21.

A médica niteroiense Renata Oliveira acompanhou tudo de perto de um dos camarotes da Sapucaí ao lado do filho Bernardo e amigos. Apaixonada por samba, ela volta para a avenida na sexta-feira (22) quando, mais uma vez, desfilará na Unidos da Viradouro – ela sai na escola há 20 anos.

A pedido do A Seguir Niterói, Renata comentou as apresentações da Acadêmicos do Cubango (segunda a desfilar) , Unidos do Porto da Pedra (quarta a se apresentar) e Acadêmicos do Sossego (última a desfilar).

Na sua opinião, das três, a Cubango foi a melhor. A escola de Niterói teve como enredo “O amor preto cura: Chica Xavier, a mãe baiana do Brasil”, uma homenagem  à atriz , grande personalidade de representatividade da cultura e da arte negra no Brasil. Chica Xavier atuou por quase 60 anos. Ela faleceu em agosto de 2020, aos 88 anos.

“A escola estava muito bonita e empolgou bastante o público. Não teve buracos nas alas. O único problema foram as luzes dos carros alegóricos que apagaram várias vezes ao longo do desfile”, comentou.

Cubango
Porto da Pedra – balões de gás em formato de pombas foram lançados de um dos carros alegóricos da escola

Esse mesmo problema, aliás, teve a Porto da Pedra.  Com o enredo “Caçador que Traz Alegria”, a escola de São Gonçalo fez uma homenagem à Mãe Stella de Oxóssi, escritora e yalorixá que  lutou pelo respeito ao candomblé.

“A escola empolgou um pouco, não tanto quanto a Cubango. Fez um desfile correto”, afirmou Renata.

Já com o dia claro, a Sossego desfilou praticamente sem público, no Sambódromo. Com o enredo “Visões xamânicas”, sobre profecias indígenas que alertam para o colapso do planeta se a humanidade não cuidar do meio ambiente, a escola não empolgou.

“Tinham vários buracos nas alas”, observou Renata.

Sossego

Na opinião da foliã niteroiense, a melhor escola desse primeiro dia de desfiles no Sambódromo foi a União da Ilha, com Cubango em segundo lugar.

Ela observou que as fantasias de todas as escolas do lado de cá da Baía de Guanabara estavam “perfeitas”. Renata deu nota 9,8 para Cubango; 9,4 para Porto da Pedra e 9,2 para Sossego.

Renata, ao lado do filho Bernardo e os amigos Higor e Michel, vizinhos em Niterói. Eles acreditam que as três escolas continuarão na série Ouro do Carnaval do Rio de Janeiro.

Neste primeiro dia de Sambódromo, também desfilaram Em Cima da Hora, Unidos da Ponte, União da Ilha e Unidos de Bangu. A Unidos da Ponte, de São João de Meriti, prestou uma homenagem a Paulo Gustavo, morto em maio do ano passado, vítima da Covid-19. Uma das alegorias mostrava o ator e irmã Dulce, tema do enredo da escola, ao lado de um “portão do céu”.

As apresentações das escolas da série Ouro seguem nesta quinta-feira (21) com Lins Imperial, Inocentes de Belford Roxo, Estácio, Santa Cruz, Unidos de Padre Miguel, Vigário Geral, Império da Tijuca e Império Serrano.

As duas escolas com pior avaliação dos jurados serão rebaixadas para Série Prata. Já a campeã da Série Ouro sobe para o Grupo Especial.

COMPARTILHE