Niterói por niterói

Lupulinário

Por Sônia Apolinário

Sônia Apolinário é jornalista tendo trabalhado nos principais jornais do país, sempre na área de Cultura. Também beer sommelière, quando o assunto é cerveja e afins, ela se transforma na Lupulinário.
Publicado

Sinônimo de cerveja, Pilsen não é tudo igual

beer-g6309150d4_640
Foto: Pixabay

Quanto mais calor faz, a tendência de quem gosta de beber cerveja é buscar por uma bebida o mais leve possível. Nessas horas, o estilo mais lembrando é o Pilsen (ou Pilsner).  Há quem pense que Pilsen é tudo igual, mas se enganam.  Há quem acredite estar bebendo Pilsen, mas, na verdade, está consumindo outro estilo.

Para começo de conversa, só pode ser chamado de Pilsen a cerveja produzida na cidade tcheca de Plzeñ  (Pilsen, em alemão), na província da Boêmia – da mesma forma, por exemplo, que só é champagne a bebida produzida na região francesa de mesmo nome.

Foi em Plzeñ, em 1842, que o estilo foi criado e, desde então, é sucesso absoluto. O mérito é do alemão Josef Groll que produziu, pela primeira vez, uma cerveja clara, bastante carbonatada e refrescante. Até então, as cervejas eram escuras e isso está relacionado, também, com a então tecnologia para o processo de malteação.

Quando essa nova cerveja surgiu, ela primeiro seduziu o consumidor pelo sentido da visão. Por acaso, isso se deu na mesma época em que foram lançados os que vieram a se tornar os famosos cristais da Boêmia. Assim, beber cerveja  em canecas de estanho, madeira ou até couro, logo se tornaria coisa do passado. Essa nova cerveja delicada “pedia”  um recipiente também delicado e transparente que permitisse observar suas bolhinhas subindo pelo copo.

O sucesso da cerveja Pilsen foi tão grande, que a Alemanha tratou de criar a sua versão para agradar os próprios alemães.  Assim, temos a German Pils (porque não podiam usar o termo Pilsen) X a Bohemian Pilsener (também identificada em guias de estilo de cerveja como Czech Premium Pale Lager).

A Pilsen original tem mais cor, presença de malte e corpo do que a prima alemã. A espuma é mais densa, é menos transparente e carbonatada também. Pode ser mais amarga: entre 30 e 45 unidades de amargor (IBU) contra 22 a 40 da German Pils.  Em termos de teor alcoólico, também são próximos. A Bohemian tem entre 4,2 a 5,8% X 4,4 a 5,2% da German.

Convenhamos. São muito parecidas e diferenciá-las requer muita  “hora-copo”.

Na própria República Tcheca, a Pilsenr Urquell é tida como “a” Pilsen, então, essa marca é a melhor recomendada para se “conhecer” o estilo. Já uma referência de German Pìls é a Konig Pilsener.

No Brasil, a cervejaria Narcose levou medalha de prata na categoria melhor rótulo (Best of Show) para a sua German-style Pils, na edição 2021 do tradicional Concurso Brasileiro de Cervejas, o que a torna uma referência nacional no estilo.

Para os fãs de Pilsen, é possível experimentar outros estilos sem sair muito do estilo preferido. Fique atento quando “esbarrar”, por exemplo, com cervejas Munich Helles, Festbier ou Kolsch, todos estilos alemãs clássicos.

A Munich Helles tem mais presença de malte do que uma German Pils, mas com menos caráter de lúpulo; a Festbier é mais encorpada que uma Helles, com mais sabor de lúpulo e mais alcoólica. Já a Kolsch, das três, é a que mais facilmente será confundida com uma Pilsen.

Ah, e por que eu disse que  há quem acredite estar bebendo Pilsen, mas, na verdade, está consumindo outro estilo? Porque está escrito Pilsen no rótulo, mas, oficialmente, o estilo da marca é outro. Isso acontece, por exemplo, com as populares Brahma, Antarctica e Original, entre outras. A cervejaria Ambev, no seu guia de marcas, informa que o estilo desses rótulos é o Standard American Lager.

Sobre ele, diz o guia oficial de estilos Beer Judge Certification Program (BJCP):

“Com um perfil de sabor muito neutro e de baixo amargor. Baixo a nenhum aroma de malte e aroma de lúpulo de muito leve a nenhum. Dentre os ingredientes, percentagem elevada (acima de 40%) de arroz ou milho como adjuntos. Com muito menos sabor, lúpulo e amargor do que as tradicionais Pilsner europeias”.

Beber esses rótulos “estupidamente gelados” mascara a falta de sabor  deles.

Uma Pilsen é feita com com água, malte, levedura e lúpulo. Este será, preferencialmente, Saaz. Trata-se do mais tradicional lúpulo de aroma da República Tcheca e o que foi usado por Josef Groll.

A cervejaria Ambev informa ter três Pilsners no seu portfólio: Beck’s (German), Wals e Patagônia (Bohemian). Sobre a Skol, a cervejaria diz que se trata de uma Brazilian Pilsen, um estilo que não consta em nenhum guia de estilos de cerveja.

Em Niterói, a maioria das marcas tem sua Pilsen. Há, porém, quem nunca terá esse estilo plugado no seu taproom por uma questão de posicionamento de mercado.

Para enfrentar o calor, se você procura por cerveja leve e isso significa pouco alcoólica, verifique o percentual de ABV do rótulo; já se você considera leve uma cerveja pouco amarga, verifique a unidade de amargor (IBU) no rótulo – quanto maior o número, mais amarga será a cerveja.

Leia também: Catharina Sour reconhecido como primeiro estilo brasileiro de cerveja

COMPARTILHE