Niterói por niterói

Silvia Fonseca

Silvia Fonseca é jornalista e trabalhou por 30 anos no jornal O GLOBO, onde foi Editora Executiva. Tem pós em Gestão de Redação, tem uma consultoria em soluções de mídia e é sócia fundadora do A Seguir: Niterói. Nasceu em Minas, mas mora em Niterói há 32 anos.
Publicado

Não precisava da farofa, presidente

Jair-Bolsonaro-farofa
Depois da revelação sobre gasto milionário com cartão corporativo, farofa na rua. Reprodução de vídeo

Falta de modos para comer farofa? Não importa. O que importa é a falta de modos para conduzir o país.

As imagens do presidente Jair Bolsonaro comendo farofa e espetinho de frango numa barraca de rua de Brasília revelam muito mais do que pretendeu mostrar o ministro Fabio Faria (Comunicações), que as divulgou e depois apagou diante da repercussão negativa.

Parece que eles queriam fazer farofa e passar uma imagem de humildade, de “homem do povo”, depois da revelação de que Bolsonaro gastou R$ 29 milhões (!) com cartão corporativo.

O vídeo mostra o presidente comendo com as mãos, se lambuzando, derramando comida no colo e no chão…

Mas não é assim que o homem que gastou R$ 29 milhões no cartão corporativo vai se aproximar do “povo”. O “povo” humilde não é porco.

O vídeo revela é como está havendo falta de modos no governo.

Falta de modos diante da dor de centenas de milhares de famílias de mortos na pandemia.

Falta de modos com as instituições democráticas.

Falta de modos com a educação, com o meio ambiente, com a saúde, entregues a despreparados.

Falta de modos no fazer política, com a oferta de todos os dedos ao Centrão para tentar se reeleger.

Falta de modos com a História do país, com sua gente, seus costumes.

É tanta falta de modos que daria para preencher uma lista gigantesca aqui.

Não precisava da farofa, presidente.

COMPARTILHE