Niterói por niterói

Lupulinário

Por Sônia Apolinário

A coluna Lupulinário é escrita e editada pela jornalista Sônia Apolinário e completou 4 anos em julho.
Publicado

Degustação guiada virtual explora cervejas natalinas

cervejas natal

Dois rótulos da histórica cervejaria belga St.Feuillien foram escolhidos pelo beer sommelier Gil Lebre para a realização de uma degustação guiada. O evento é virtual e acontece praticamente às vésperas do Natal, no dia 23 de dezembro. E não por acaso. As cervejas escolhidas por ele são consideradas verdadeiras tradições natalinas: a Cuvée de Noel e a Quadruple – esta chegando pela primeira vez ao Brasil.

“Essas cervejas são feitas para o Natal europeu. Ou seja, são cervejas de inverno e bem alcoólicas. Como nossa ceia tem pratos pesados e condimentados, esses rótulos acompanham muito bem nossos pratos de festas de final de ano”, afirma Gil Lebre, morador de Niterói, vencedor, em 2015, do 2º Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja.

A Cuvée de Noel é produzida desde 1969; tem 9% de teor alcoólico e sua receita inclui ervas aromáticas e especiarias. A Quadruple tem 11% de álcool e apresenta nuances que remetem a vinho madeira e frutas cristalizadas.

A história da cervejaria St. Feuillien começa em 1873, na cidade belga de Le Roeulx. Recebeu o nome de um monge irlandês que, em 665, enquanto viajava por aquela região, foi martirizado e decapitado. As cervejas da marca são do estilo abadia.

Tanto a história da cervejaria quanto detalhes a respeito dos rótulos fazem parte do roteiro da degustação virtual guiada. Será a terceira do tipo que Gil realiza, nos últimos meses: a primeira foi sobre cervejas de trigo alemãs e a segunda com dois rótulos clássicos de Pilsen, sendo um alemão e outro tcheco.

Promover degustações guiadas e jantares harmonizados não é novidade para o beer sommelier. Foi a pandemia do Coronavírus que fez com que ele adaptasse o formato para o mundo virtual. Assim, os interessados compram as cervejas da degustação da vez, que são entregues pelo próprio Gil, em Niterói e no Rio de Janeiro, junto com o link do Zoom.

“Além de beber as cervejas, é comum as pessoas fazerem anotações das análises sensoriais. A degustação guiada agrega conhecimento a um momento de lazer. Tenho trabalhado com rótulos importados porque nem todos têm acesso a eles e é uma oportunidade para experimentá-los, além disso, geralmente, são de cervejarias que têm muitos anos de história para contar”, comenta.

Na degustação guiada, Gil dará dicas de harmonização dos rótulos com pratos típicos de ceias de festas de final de ano. Aqui, um aperitivo:  a Cuvée de Noel vai bem com carne de porco ou outra carne que seja acompanhada por molho adocicado e condimentado; a Quadruple, pede carne bem gordurosa e pode até ser a opção para fechar uma refeição, em substituição a um licor.

A próxima degustação virtual guiada a ser promovida por Gil Lebre será em janeiro. Ele não adiantou quais serão os rótulos, mas serão bem mais leves, com foco no verão que estará com tudo por aqui pelos trópicos.

Contato do beer sommelier, aqui

Cervejas natalinas de Niterói

Cervejas natalinas são produzidas de forma sazonal por várias cervejarias nacionais. Em Niterói, no momento, é possível encontrar:

Niterói Christmas, da Araribóia  (lata 473 ml – 7%):Christmas Ale comemorativa de aniversário da Cervejaria Araribóia que acontece no mês de dezembro. Cerveja elaborada com um grist de maltes muito especial, além de diversos ingredientes mágicos tais como: cravo, canela, noz moscada, pimenta da Jamaica, casca de laranja, ameixa, banana passa, melaço de cana, nozes, amêndoas e um leve toque de rapadura”.

Christmas Ale, da Noi (chope): “Belgian Dubbel com adição de  uva passas, tâmara, ameixa, damasco, frutas cristalizadas e um toque de cravo e canela”.

Ilbereth, da Matisse (chope) : “Winter Seazonal Beer com adição de avelã, gengibre, noz moscada, zimbro e canela. A Ilbereth é inspirada nos quitutes natalinos europeus, como o biscoito de gengibre, por exemplo. Ilbereth é o nome do duende que era secretário do papai Noel nas cartas que Tolkien escrevia para seus filhos no Natal, como se fossem do Papai Noel”.

 

 

 

 

 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email