Niterói por niterói

Lupulinário

Por Sônia Apolinário

Sônia Apolinário é jornalista tendo trabalhado nos principais jornais do país, sempre na área de Cultura. Também beer sommelière, quando o assunto é cerveja e afins, ela se transforma na Lupulinário.
Publicado

Cervejas chocolatudas para brindar a Páscoa

cerveja de chocolate com corte

Páscoa à vista e o cheiro de chocolate se espalha pelo ar. Em alguns casos, o inebriante aroma é liberado não quando se desembrulha aquele ovo enorme ou uma caixa de bombons, mas quando uma garrafa de cerveja é aberta. Existem muitas cervejas “chocolatudas” que podem perfeitamente substituir um ovo de Páscoa.

A se observar, porém, que nem sempre uma “cerveja de chocolate” terá chocolate ou cacau entre seus ingredientes. O “truque” que permite “simular” o gosto do chocolate na cerveja está relacionado com a alquimia da produção da própria bebida. Estamos falando da torra do malte: maltes escuros podem dar notas de chocolate a uma cerveja. Isso porque, dependendo do grau de torra, o malte remete a um sabor. Entre os extremos de claro e escuro, as notas de chocolate ficam mais ou menos no meio e podem “simular” aromas e sabores que vão do chocolate ao leite,  ao mais próximo do café.

Quando se fala de cerveja de chocolate, um dos rótulos mais tradicionais e lembrados é o Young’s Double Stout Chocolate da cervejaria inglesa Wells & Youngs. Para muitos, trata-se de um verdadeiro ovo de Páscoa líquido. A receita leva adição de chocolate amargo e essência de chocolate. Assim, não se engane ao ver no rótulo que se trata de uma Sweet Stout. O amargor está bem presente junto com as notas de chocolate e café. Com corpo médio e 5,2% de teor alcoólico, essa cerveja é fácil de beber. A lata vem com nitrogênio, que ajuda a dar um aspecto bem cremoso para a espuma marrom clara, deixando a bebida mais “apetitosa”.

Outra cerveja icônica é a norte-americana Founders KBS, uma Imperial Stout. Leva muito chocolate e café na receita, é maturada e envelhecida em barris de Bourbon por 1 ano. Também tem notas de chocolate amargo e café. Com  11,3% de teor alcoólico, essa cerveja pede um clima de degustação diferente da “prima” inglesa.

Dentre as marcas de Niterói, há boas opções chocolatudas.

A Noi tem dois rótulos: Cioccolato e Cioccolato Barile. No momento, está mais fácil encontrar por aqui a Barile (12% ABV e 54 IBU). É uma Wood Aged Imperial Stout feita com nibs de cacau, cacau em pó e baunilha. Essa cerveja é envelhecida em barrica de carvalho de whisky e tem notas de chocolate amargo.

Na Masterpiece, o destaque é a Griet, uma Porter com avelã (5,7% ABV e 31 IBU). O aroma de chocolate é dado pelos maltes. A avelã adicionada à receita acentua a percepção do chocolate. Ao sabor intenso da avelã seguem toques de caramelo e nozes, além de toffee.

A Matisse se apresenta com a Maruhy (6,7% ABV e 51 IBU). Trata-se de uma American Stout com nibs de cacau e canela. O aroma e sabor são de chocolate amargo com notas de café e toques de caramelo.

Pelos bares

No Dona Cevada, uma opção é o rótulo Gladston, uma Imperial Smoked Porter da cervejaria Latido (10% ABV e 46 IBU). Apresenta notas de chocolate proveniente apenas dos maltes. No sabor ainda toques de frutas secas. O beer sommelier da casa, Guilherme Alfradique, garantiu para a sua própria Páscoa um rótulo que não está mais à venda por lá: Zombies of War (12% ABV), uma Imperial Stout com cereja e cacau da cervejaria gaúcha Salvador.  Apesar do nome bélico, Alfradique  jura que a cerveja é um verdadeiro bombom.

No Fina Cerva é possível encontrar a Barista Chocolate Quad  (11% ABV e 15 IBU), uma Belgian Ale da cervejaria Kasteel. Essa Quadrupel de textura licorosa tem notas marcantes de chocolate, além de café e torrefação.

No Armazém São Jorge, o destaque chocolatudo estará disponível apenas a partir da véspera da Páscoa quando em uma das 20 torneiras do bar estará plugada a Petroleum, da cervejaria paranaense Dum – uma cerveja referência no mercado nacional.

A Petroleum é uma Cocoa Imperial Oatmeal Stout. Tem 12 % de teor alcoólico e 96 de teor de amargor – mas não se assuste com esse número. Essa cerveja é feita com adição de cacau belga e aveia. As notas no aroma e no sabor são de chocolate meio amargo, além de café.

(Existe uma Wals Petroleum, que um dia já foi a mesma coisa que a Dum Petroleum, mas hoje não é mais. É uma longa história que pode até render outra coluna. Caso se depare com as duas, lembre-se que a Dum foi a cervejaria que criou a receita.)

Quando a Dum Petroleum estiver disponível no Armazém São Jorge, será possível harmonizar a cerveja com um biscoito feito especialmente para o bar pela padaria Crosta, vizinha do Jardim Icaraí. A receita exclusiva é feita com cacau, café e caramelo salgado.

Feliz Páscoa!

 

COMPARTILHE